A ideia é que se alguém sofrer uma lesão grave e estiver entre a vida e a morte, numa situação em que cada segundo é vital, uma pequena dose de sulfeto de hidrogênio possa ser capaz de reduzir drasticamente os batimentos cardíacos do paciente, deixando-o efetivamente em um estado de quase-morte.

Parece assustador, mas é reversível. O tempo estaria basicamente passando em câmera lenta para o paciente, enquanto os médicos trabalhariam em "tempo real". Em vez de ter minutos para salvar a vida de um paciente, a técnica pode dar horas ao médicos.

Isso tudo é ótimo e tal, mas eu gostaria muito de poder evitar respirar esse tal de sulfeto de hidrogênio aí. Pra mim, o bom e velho óxido nitroso já está de bom tamanho. [CNN via BoingBoing]