O Centro de Valorização da Vida realiza no Brasil apoio emocional e prevenção do suicídio, atendendo voluntária e gratuitamente todas as pessoas que querem e precisam conversar, sob total sigilo por telefone, email, chat e Skype 24 horas todos os dias. Clique aqui para saber mais.

Você pode ou não se dar conta do que está acontecendo, mas na verdade não importa. Você não terá tempo para reagir. Porque uma bala pode alcançar uma velocidade maior do que 975 metros por segundo, o que é muito mais rápido do que você pode esquivar, gritar ou implorar. Mas fique calmo. Levar uma bala na cabeça significa que tudo irá acabar mais rápido do que se você tivesse uma ferida mortal em qualquer outro lugar.

A bala destinada para você desliza pelo seu cabelo, pele e músculos antes de estraçalhar um dos oito ossos cranianos projetados para manter seu cérebro seguro. Infelizmente, é tarde demais para isso agora. Balas vencem ossos. A entrada do projétil em seu crânio facilmente estilhaça sua carcaça de cálcio, fósforo, sódio e colágeno. Como um souvenir da abertura, você ganha um buraco circular adornado com pele esfolada. A distância faz diferença também: Quanto mais perto você estiver da arma, mais a fumaça e pólvora podem queimar sua carne.

Mas já chega de falar da ferida; o que é realmente interessante acontece mais fundo. O tecido conjuntivo e membranas fibrosas que agem como um acolchoamento interno rompem-se logo antes da bala mergulhar em seu fluido cérebro-espinhal. Esse fluido serve para amortecer choques. Ele, juntamente com outras estruturas, permitem que você ande em montanha russas e se junte a rodinhas de batedores de cabeça sem nenhum dano. Mas como o seu sistema de controle de 1,5kg está sendo desligado, esta será a última vez que você vai bater cabeça.

A bala atravessa seu cérebro mais rápido do que a velocidade que os seus tecidos se rompem. Isso significa que ela na verdade está empurrando os tecidos no caminho, esticando-os além de seu ponto de ruptura. Quando o tiro vem de armas de longo alcance e alta velocidade, as balas viajando a centenas de metros por segundo irão sair do seu corpo antes mesmo que seus tecidos tenham chance de se romper.

A habilidade de processar informação e resolver problemas? Não restará nada quando a bala atravessar seu córtex pré-frontal. Sua habilidade de guardar memórias? Irá sumir junto com seu hipocampo. Uma longa cavidade temporária é deixada no rastro da bala. Quando o rompimento finalmente acontecer, seus tecidos irão voltar para a abertura inicial e transpor sua posição original. Você sabe aquele movimento de um lado para o outro que acontece quando você chuta um daqueles batentes de porta com molas? Bem, é mais ou menos isso que acontece com os seus tecidos quando as ondas de choque os atingem.

E então a passagem desmorona. A arma de fogo de alta velocidade criou uma abertura em seu cérebro que tem 10 vezes o diâmetro do projetil.

Mas se você tiver sorte, relativamente falando. Se você tiver sido atingido no coração, sua pressão sanguínea vai cair rapidamente, mas levaria de 10 a 15 segundos para perder sua função cerebral. Nesse tempo você poderia sacar sua arma, falar algumas ultimas palavras, ou passar algum tempo refletindo sobre sua infeliz situação. Mas um tiro no cérebro é diferente. Seu cérebro para de funcionar quase imediatamente. Em apenas uma fração de segundo, você já era.

Rachel Swaby é uma escritora freelancer que mora em San Francisco.
Créditos da Imagem Shutterstock