Está cada vez mais difícil baixar MP3 na cara dura de sites. Fecharam o MegaUpload, o 4Shared agora exige cadastro e a próxima vítima, ou as próximas vítimas, são sites que fazem o meio de campo entre o YouTube e o seu MP3 player. A mamata da conversão de vídeos em música pode estar com os dias contados.



Philip, o responsável pelo site YouTube to mp3, recebeu uma cartinha dos advogados do Google exigindo que o serviço seja tirado do ar em sete dias por desrespeitar os termos de serviço de uso da API do YouTube. E parece que não se trata de um caso isolado, mas sim de uma investida contra sites e serviços que convertem vídeos hospedados no YouTube em arquivos MP3.

Essa é uma conduta ilegal? Philip acredita que não — ele inclusive afirma não usar a API do YouTube, logo, não estaria infringindo os termos de serviço. Ele também publicou uma carta explicando a situação, citando dados e pareceres do governo alemão sobre a legalidade do download de conteúdo do YouTube e pedindo a ajuda dos usuários, além de deixar um recado direto para uns tais de Sergey Brin e Larre Page: “contatem-me.” Até agora, não surtiu efeito.

Contra ele conta o hábito das gerações mais jovens de baixar música protegida por direitos autorais do YouTube usando ferramentas como o YouTube to mp3. O TorrenFreak conversou com uma galera mais nova mês passado e todos, sem exceção, disseram que utilizam o método para ouvir músicas.

Existe um punhado de sites e programas que fazem a conversão de vídeos do YouTube para MP3. Uma busca revela vários deles, inclusive o site do Philip. Não é irônico o Google exigir o fim de coisas que ele ajuda a encontrar? [TorrentFreak via Folha]