O Google adora easter eggs e, aparentemente, existe um escondido bem debaixo do nosso nariz no Wear OS há algum tempo.

Se você possui um smartwatch Wear OS, na verdade existem duas pequenas surpresas programadas no aplicativo Flashlight padrão se você tocar duas vezes e pressionar.

A primeira é apenas um turbilhão de luzes coloridas – um easter egg que foi descoberto há quatro anos pelos usuários astutos do Reddit.

O segundo é um mini sequenciador de bateria. Para conseguir vê-lo, é necessário um exercício de tentativa e erro, e parece um pouco aleatória a regra sobre o que aparece dependendo da velocidade de tocar e segurar. Dito isto, você deve conseguir fazer com que ele apareça de forma relativamente rápida se você ficar tocando duas vezes e segurando. Este easter egg foi visto inicialmente no Reddit cerca de dois anos atrás, mas parece que não recebeu muita atenção.

O sequenciador de bateria é uma grade colorida de quatro por quatro. Você pode tocar em cada ponto para personalizar a batida. De acordo com o 9to5 Google, o ponto azul representa um bumbo, com o verde sendo a caixa, o roxo um sino e o vermelho um chimbal.

Para ouvir a batida, o relógio do Wear OS precisa ter um alto-falante embutido ou conectar-se a um via Bluetooth. Um alto-falante embutido é uma adição relativamente nova aos relógios inteligentes Wear OS, mas ainda não é algo estabelecido. Testei recentemente o Skagen Falster 3, que possui um. Mas também estou testando o recém-lançado Suunto 7, que não tem. Experimentei o sequenciador de bateria no Suunto 7, mas tive que conectá-lo a um alto-falante Bluetooth para ouvir. O que ainda é um truque bem legal.

Ainda assim, este é um easter egg bastante fraco. O maior obstáculo é que você precisa possuir um maldito relógio com Wear OS em primeiro lugar, o que vamos ser sinceros – mesmo que o Wear OS tenha mais opções para smartwatches compatíveis com Android, eles não são os mais populares de encontrar por aí. Esse easter egg – embora divertido – provavelmente não vai mudar a opinião de ninguém de que o Wear OS está muito atrás de seus concorrentes.