Há quase dois anos o Google anunciou um campus para startups brasileiras em São Paulo, e agora o projeto finalmente saiu do papel e se tornou realidade. Em um prédio nas proximidades da avenida Paulista, centro financeiro da capital paulista, a empresa disponibiliza um espaço com cinco andares tanto para startups selecionadas desenvolverem seus projetos, como também para qualquer paulistano visitar e tomar um café.

É o sexto espaço do tipo do Google pelo mundo – antes de São Paulo, as cidades de Londres, Madrid, Seul, Tel Aviv e Varsóvia também receberam um desses campi. Nele, pequenas startups podem não só desenvolver seus projetos como também contar com a colaboração de especialistas do Google, além de aceleradoras de startups como a Startup Farm, a Techstars e a Brazil Innovators.

>>> Por dentro do novo centro de engenharia do Google em Belo Horizonte

Em São Paulo, o Google reserva três andares do prédio para startups residentes: espaço de trabalho conjunto por seis meses, tempo que pode ser renovado dependendo de como estiver a situação da empresa no final do ciclo. Essas startups serão selecionadas a partir de um processo e poderão usar as instalações do Campus São Paulo basicamente da forma como bem entenderem, inclusive trocando informações com outras startups residentes, ou mesmo usando as salas de reuniões para se organizar.

A decoração desta, sobre a Festa da Achiropita, coloca macarrão (!) no teto da sala.

Decorações de salas lembram festas paulistanas, como esta que homenageia a festa de Nossa Senhora da Achiropita, que tem “macarrão” no teto

Startups interessadas em fazer parte do programa de residentes podem se inscrever entre amanhã e o dia 8 de julho. Serão selecionados projetos que “desenvolvam tecnologias únicas ou apresentem modelos de negócios disruptivos; busquem solucionar um problema relevante e com alto potencial de impacto; sejam compostos por um time diverso; contribuam e se engajem no fortalecimento da comunidade empreendedora.”

Caso você tenha uma startup e esteja interessado no programa de residentes, as inscrições podem ser feitas por aqui. As primeiras escolhidas serão anunciadas no dia 5 de agosto e a ideia é que o programa comece no dia 22 do mesmo mês. O Google não cobra nada de quem for selecionado – nem participação na empresa caso as coisas deem certo no futuro.

Mas e se você não tiver uma startup e quiser dar só uma passada para conhecer o espaço? O Campus São Paulo tem uma área aberta ao público – dois dos andares, aliás, podem ser visitados por qualquer pessoa. Basta se cadastrar como membro do programa (não é preciso ter startup nenhuma para isso) e, ao visitar o espaço, você ganha um crachá que garante acesso aos dois andares destinados a um café, com espaço para 160 pessoas por andar.

Lá, além de beber um café preparado pelo pessoal do Sofá Café, você também pode conversar com outras pessoas (obviamente) e aproveitar a rede Wi-Fi gratuita oferecida pelo Google aos visitantes do espaço.

O Campus São Paulo vai abrir para o público na segunda-feira da semana que vem, dia 13. Ele fica na Rua Coronel Oscar Porto, 70, bem perto da estação Brigadeiro do Metrô.

Confira um pouco de como é o espaço por dentro nas imagens abaixo:

Clique aqui para ver as imagens em tamanho ampliado.

Foto de topo via Google. As fotos da galeria foram tiradas por mim durante visita ao Campus São Paulo.