Se a próxima eleição para presidente da República será mesmo a da internet, depende de nós – toca o som, DJ – mas o Google quer ajudar também. Para isso, o gigante das buscas criou um portal para facilitar e consolidar dados de buscas e informações dos candidatos, além de disponibilizar a agenda dos candidatos e usar material de televisão no canal.

O site batizado de forma direta e reta de Eleições Brasil 2010 faz praticamente o que qualquer um pode fazer, mas de forma organizada e mais fácil de visualizar. Prova disso é o cruzamento das buscas do Google Insight Search com o Google News, criando um gráfico que mostra o pico de buscas de cada candidato e quais notícias estão relacionadas às buscas maiores. Já um mapa do Google Maps marcará as peregrinações dos pretendentes pelo Brasil, mostrando por onde eles passarão nos próximos dias. O formato foi usado nas últimas eleições americanas e uma versão beta foi testada nas eleições brasileiras de 2008, porém menos completa.

Em outra página, será possível conferir um mapa interativo sobre as eleições para governador e presidente desde 1994, com dados oficiais do TSE. Mas por enquanto esse mapa especificamente não está funcionando do jeito que o Google quer – ele não carrega os dados. Mas acreditamos que eles arrumarão isso em breve, certo? (Há também um problema na página inicial com o mapa “Siga o Candidato”, o que deixa claro que o Google está arrumando os últimos detalhes do site).

Mas talvez o mais interessante do site seja a parceria inédita e incomum do Google com a TV Bandeirantes. Assim, todo o conteúdo criado pelo canal de televisão sobre as eleições estará disponível tanto no site quanto no YouTube, para você não ter nenhuma desculpa esfarrapada do tipo “eu não vejo horário político e vivo na internet”. É possível também enviar perguntas que o Google a Band prometem usar nas sabatinas com os candidatos. E além de vídeos, há um widget para receber todas as notícias de um só político.

Ou seja, o Google Brasil está interessado na próxima eleição e suas ramificações na internet, que devem ser enormes. Mas, claro, de nada adianta um mar de ferramentas e avanços tecnológicos se a população não se interessar em debater e discutir as propostas. Pelo menos para os deputados, um bom começo para conhecê-los melhor é achar quais candidatos você quer seguir no Twitter, naquela gigantesca lista que nós fizemos. [Google via Info]