A preocupação com a privacidade de dados é cada vez maior, mas duas das maiores empresas de tecnologia do mundo não parecem muito dispostas a cooperar com alguns esforços de preservação da anonimidade dos usuários. Google e Microsoft (Bing) se recusaram a atender à solicitação do Ministério Público do DF e Territórios (MPDFT) de retirada da página “Tudo sobre todos” de seus resultados de buscas.

• Como saber se você foi afetado pelo vazamento de dados do Banco Inter, segundo o Banco Central
• Ferramenta de reconhecimento facial permite coletar em massa dados de redes sociais

O Yahoo, por sua vez, obedeceu ao pedido, e o site não aparece mais nos resultados. Em nota publicada em seu site oficial, O MPDFT conta que, em julho, a Comissão de Proteção de Dados do MPDFT abriu um inquérito para investigar o site “Tudo sobre todos”, pedindo então para que os maiores serviços de busca na internet retirassem a página de seus resultados de busca.

O site “Tudo sobre todos” está por aí desde 2015 e permite a consulta e venda de dados pessoais, trazendo informações como nome, endereço, CPF, nomes de vizinhos e até perfis em redes sociais. A Comissão de Proteção de Dados do MPDFT afirma que “a ilegalidade do serviço é manifesta”, e o promotor de Justiça Frederico Meinberg, que coordenou a comissão, afirmou que a recusa de Microsoft e Google “demonstra o nível de preocupação das duas empresas com a privacidade dos dados pessoais dos brasileiros”.

Entramos em contato com Google e Microsoft e, até o momento da publicação desta nota, não tivemos nenhuma resposta. Se uma das empresas responder ao pedido por comentários, atualizaremos o post.

Atualização, às 12h de 15/08: Por e-mail, a Microsoft não explicou a motivação por trás da manutenção do “Tudo sobre todos” nos resultados de busca do Bing, limitando-se a dizer: “Analisamos e avaliamos as solicitações de remoção de acesso a determinadas páginas indexadas e definimos se devemos remover o acesso ao conteúdo de acordo com nossas políticas e leis locais”.

[MPDFT]

Imagem do topo: Gizmodo