Este ano, parece que as empresas de tecnologia sempre desapontavam o mercado. Mesmo ampliando as vendas, crescendo a receita e aumentando o lucro, os resultados eram “abaixo do esperado” e as ações caíam. Mas desta vez, não foi assim para o Google: com receita recorde, as ações da empresa bateram a marca de US$ 1.000 pela primeira vez.

De acordo com o Mashable, são poucas as ações que superaram esse nível de preço. Para a GOOG, isto significa uma alta superior a 10% em um dia.

Tudo graças à receita de US$ 14,9 bilhões no terceiro trimestre, somando Google e Motorola. No entanto, a situação financeira é diferente para cada uma delas.

O Google viu sua receita aumentar 19% no último ano; o lucro operacional, por sua vez, cresceu 17% no mesmo período. Quase todo o dinheiro vem de propagandas na web. Um dos desafios é fazer a transição delas para celulares e tablets, onde são menos eficazes que no desktop, e rendem menos dinheiro. Outro desafio é diversificar os negócios: por isso vemos o Google apostando em computação vestível ou carros autônomos.

Enquanto isso, a Motorola teve receita 36% menor em relação ao ano passado. E o prejuízo operacional foi ainda maior: ela sangrou mais US$ 248 milhões. No trimestre, a empresa lançou o Moto X, primeiro smartphone inspirado pelo Google. Ele realmente é sensacional mas, por si só, não iria salvar o dia. O Google nota, no call aos investidores, que ainda está só começando.

Além de lançar bons produtos – incluindo novos modelos da linha Droid nos EUA – a Motorola também continua a reduzir seu efetivo. Nos últimos três meses, 340 funcionários deixaram a empresa.

Google e Motorola tiveram, juntas, lucro líquido de US$ 2,97 bilhões entre julho e setembro. [Google via The Verge]