Williams fez um brilhante post no Utne Reader sobre fotografia natural falsificada – basicamente falando sobre como animais perigosos como pumas, leopardos e leões são alugados de reservas de caça esportiva e posados como verdadeiros modelos em um desfile de moda, cada fio dos bigodes cuidadosamente posicionado. 

As maiores publicações sobre vida selvagem, como a Smithsonian e a National Geographic, recusam-se a publicar fotos de animais em cativeiro (ou publicam muito poucas, e sempre identificadas). Mas publicações menos rigorosas (cujo número é muito maior do que o daquelas que se abstém) rodam imagem de animais alugados de reservas de caça com pouca ou nenhuma qualificação. Kathy Moran, uma das editoras de fotografia da National Geographic, explica: 

Eles alegam que estes animais são ’embaixadores da vida selvagem’. Não são. Um animal ferido usado para educação pode ser um embaixador da vida selvagem, mas um animal mantido em cativeiro unicamente para que alguém lucre é um animal explorado. A natureza não é bonita. Eu prefiro vê-la como é do que toda enfeitada e planejada. Quando eu vejo um pôster de um leão grande, forte, majestoso, correndo em direção a mim com uma juba mais sedosa que o meu cabelo, eu me sinto enganada.

Eu não me sentia enganado antes, acho, mas agora eu provavelmente vou me sentir. Para mais detalhes sobre a grande farsa das fotografias de vida selvagem, leia a matéria de Williams, "Picture Perfect". [Utne Reader via The Atlantic]