Faz muito tempo que eu espero que uma empresa, qualquer empresa, coloque um bom zoom na câmera de um smartphone. Dois anos atrás, a Oppo exibiu um protótipo de aparelho com zoom de 5x no MWC. Mas, depois de todo esse tempo, foi a Huawei quem finalmente trouxe o zoom óptico de 5X para o mundo real no novo Huawei P30 Pro.

Um zoom tão grande é o equivalente a andar com uma lente 17-88mm no bolso. No Huawei P30 Pro, isso é suficiente para capturar detalhes dos prédios próximos ou tirar fotos de pedestres mesmo estando no 15º andar. Normalmente, isso por si só seria suficiente para tornar um novo telefone interessante, mas a Huawei não parou por aí.

O Huawei P30 Pro (junto com o Huawei P30 padrão) ostenta uma câmera completamente reprojetada que, segundo a Huawei, permite a ele capturar imagens de pouca luz com uma qualidade sem precedentes.

Traseira do do Huawei P30 ProSe você olhar bem de perto, poderá ver que a lente zoom de 5x, a última da esquerda, parece meio afundada quando comparada às outras. Isso ocorre porque ela usa um prisma para curvar a luz dentro do aparelho. Foto: Sam Rutherford/Gizmodo

Em toda a indústria, no coração da maioria dos smartphones, há um sensor com um filtro Bayer, que usa uma variedade de pixels vermelhos, verdes e azuis para que o sensor da câmera saiba quais são as cores. No entanto, no P30, a Huawei diz que abandonou os pixels verdes tradicionais em favor dos pixels amarelos, com a ideia de que o amarelo é uma cor inerentemente mais clara que o verde, o que permite que mais luz atinja os pixels do sensor.

Quanto mais luz acertar o sensor, mais iluminadas ficarão suas fotos e, com o suposto ISO máximo de 409600, os recursos de pouca luz do P30 e do P30 Pro soam ridiculamente inacreditáveis. Apesar de não ser uma comparação entre produtos do mesmo tipo devido à grande diferença no tamanho do sensor, uma câmera moderna mirrorless como a Nikon Z7, mesmo levando em consideração sua faixa estendida, chega a um ISO de apenas 102400 — isto é, quatro vezes menor que o P30.

Nesse ponto, você pode estar se perguntando por que, se mudar para pixels amarelos em vez de verdes em um filtro Bayer aumenta tanto o desempenho em pouca luz, outras empresas não o fizeram? Bem, a principal razão é que todo o processamento e cálculo de imagens que ocorrem nas câmeras digitais modernas se baseiam na maneira como essas três cores primárias interagem. Para o P30, a Huawei alega ter reprojetado completamente toda a pilha de componentes das câmeras do telefone, do sensor ao processador de imagens, até como toda essa informação é transmitida em uma tela ainda baseada em pixels RGB. É realmente uma aposta alta.

Huawei P30 Pro de frenteFoto: Sam Rutherford/Gizmodo

Mas a magia da câmera não para por aí. Além da câmera principal de 40 MP e da lente zoom de 5x e sensor de 8 MP — que usa uma lente periscópica bacana e um prisma para iluminar o interior do telefone — o P30 também possui lente ultra grande angular de 16 mm para fotografar paisagens. E, como um bônus especial no P30 Pro, a Huawei chegou a usar uma câmera de time-of-flight 3D bastante sofisticada, que deve medir a distância com mais precisão, algo que o telefone usa para melhorar suas fotos de retrato ou simplesmente calcular o tamanho de objetos próximos usando o aplicativo de medidas.

Se isso ainda não for suficiente, o zoom de 5x do P30 Pro (o P30 padrão chega a 3x), pode ser combinado com zoom digital para criar um zoom híbrido de 10x, ou levado até o limite para atingir uma ampliação completa de 50x. Neste alcance, as coisas começam a ficar seriamente pixelizadas, mas eu poderia usá-lo para ver o que estava na tela do computador em um escritório do outro lado da rua, o que é bastante impressionante — e talvez um pouco assustador também. A Huawei colocou praticamente todas as novas tecnologias de câmeras imagináveis ​​no P30 Pro só para ver o que acontece.

Em outros aspectos, como o P30 é o mais recente telefone da Huawei, ele vem naturalmente com o mesmo tipo de recursos de luxo encontrados nos aparelhos premium de hoje. Você obtém um belíssimo design de vidro com tela OLED curva de 6,37 polegadas com resolução de 2.340 x 1.080 pixels (ou 6,1 polegadas no P30 padrão), um processador Kirin 980 com NPUs (unidades de processamento neural) duplas, uma bateria enorme de 4.200 mAh (ou 3.650 mAh, no P30 padrão) e extras sofisticados como leitor de impressões digitais na tela e carregamento reverso sem fio.

Ah, e não posso deixar de mencionar as cores do P30, que incluem uma nova gama de gradientes com nomes como Amber Sunrise, Breathing Crystal, Aurora e Pearl White. Essas cores são bastante encantadoras, e quando você as compara com o resto dos produtos disponíveis no mercado, são facilmente os tons mais atraentes usados em celulares. Dito isso, se você for um pouco mais discreto, ainda poderá optar por um P30 ou P30 preto.

O único recurso que o P30 tem e que o P30 Pro deixou de fora é a saída para fones de ouvido. O P30 Pro também vem com um disparador infravermelho, algo que até mesmo a Samsung abandonou há algumas gerações.

Smartphone Huawei P30

Olha, eu não estou aqui para dizer como você deve se sentir em relação à Huawei no que se refere à segurança nacional. Mas, depois de conferir o novo P30 e P30 Pro, não posso deixar de ficar impressionado com toda a tecnologia que a empresa colocou dentro de seu telefone.

O P30 não será barato: ele custará 799 euros, sendo que o modelo Pro, com as câmeras mais avançadas, sai por no mínimo 999 euros. Independentemente disso, estou ansioso para ver como ele se sai quando chegar às lojas e pudermos testá-lo.

A boa notícia é que o aparelho deverá chegar ao mercado brasileiro em maio. Enquanto não temos o preço local, é hora de fazer suas apostas para saber quanto eles deverão custar por aqui.