O Sony Xperia ZQ já está nas lojas há alguns dias, e é o primeiro smartphone com tela Full-HD a chegar no Brasil. Ele é uma adaptação do Sony Xperia ZL, mostrado na CES no começo do ano, com compatibilidade com o 4G brasileiro. Suas especificações técnicas são muito boas: processador Snapdragon S4 Pro quad-core de 1,5GHz, 2GB de RAM, câmera de 13 megapixels e a tela de 5 polegadas com resolução 1080×1920.

Colocamos as mãos nele ontem, e as primeiras impressões foram muito boas. Por fora, a tela de 5 polegadas não faz dele um trambolho – ela ocupa 75% da parte frontal do aparelho e a Sony diz que a escolha em lançar o ZL e não o Z por aqui foi por ele ser mais compacto. E realmente é: ele é um pouco mais baixo que o Samsung Galaxy S3, apesar da tela maior, mas em compensação é um pouco mais grosso.

Na parte frontal, ele tem as bordas retangulares e a tela – que não é protegida por Gorilla Glass – ocupa o espaço quase inteiro. A câmera frontal fica na parte inferior direita do aparelho – também é a mesma posição do LED de notificações. Já a parte traseira é levemente arredondada – como no Galaxy S3 – e seu acabamento é de plástico. A bateria não é removível. Há uma pequena porta na parte debaixo para encaixar o cartão microSD e o mini SIM.

A Sony deu bastante destaque ao botão power. A japonesa explica que a interação com o smartphone começa a partir dele, então ele recebeu um tratamento especial. Ele é diferente de outros smartphones – fica no canto direito do aparelho, como de costume, mas está centralizado. Na parte de cima está o controle de volume, e embaixo o botão da câmera. Mas mesmo com essa preocupação com o botão, ele tem seus problemas: é duro, e a posição centralizada dele é um problema para canhotos (como eu). Pressioná-lo com o dedão é fácil, mas quando eu seguro o smartphone com a mão esquerda o dedão fica do outro lado, e aí ou eu uso o indicador ou o dedo médio para fazer o aparelho ligar.

Ao conseguir apertar o Power com o indicador, a tela se acende, e ela é excelente. As 5 polegadas em alta definição (443 ppi) contam com a tecnologia Mobile Bravia Engine 2 para melhorar a qualidade da imagem – o nível de detalhes é incrível. Mas a ausência de Gorilla Glass cria um problema de sujeira: marcas de dedo espalhadas pela tela inteira depois de usar por pouco tempo.

Em relação ao software, ele roda o Android 4.1.2 com a skin Experience Flow UI da Sony, que adiciona algumas coisas bacanas. A câmera, por exemplo, foi toda redesenhada: na mesma interface você pode tirar fotos ou gravar vídeos. Normalmente, você precisa trocar da câmera fotográfica para a de vídeo no app, mas no caso do Xperia ZQ os dois estão juntos: o botão para começar a gravar vídeos fica um pouco abaixo do botão para tirar fotos. No geral as mudanças da Sony foram bem profundas e ele lembra bem pouco o Android stock do Nexus 4, por exemplo. Mas não notei nenhuma lentidão: o Xperia ZQ rodou tudo suave, sem sofrer nenhum engasgo.

Hands-on em vídeo

Outro recurso bem legal é o sensor infravermelho. O smartphone já acompanha um app com vários aparelhos de várias empresas pré-programados. Isso significa que não precisei me esforçar muito para conseguir controlar a minha TV da LG usando o smartphone. Se o seu dispositivo não estiver na lista, você pode configurá-lo manualmente – mas dá bem mais trabalho. Assim, além de tudo o seu smartphone pode virar um controle remoto universal.

Alguns outros detalhes do smartphone: a Sony promete que a bateria de 2.350mAh dura bastante, e ela criou uns truques no software para isso. Um exemplo é a possibilidade de desligar completamente a conexão de dados quando a tela está apagada – mas é claro que você pode definir alguns apps para continuarem usando os dados, assim sua tela não precisará estar ligada para você receber mensagens no WhatsApp. A câmera de vídeo grava em HDR e 1080p. E o fone de ouvido, segundo a Sony, tem driver de 13,5mm em vez dos de 9mm mais comuns em fones que acompanham smartphones. Ainda não testei, mas geralmente esses fones padrões não costumam ser grande coisa.

O Sony Xperia ZQ já está nas lojas pelo preço sugerido de R$ 2.049. Vamos fazer um teste mais completo do smartphone que deve ficar pronto nas próximas semanas.

Fotos

2013-04-26 17.12.31 2013-04-26 17.12.40 2013-04-26 17.13.16 2013-04-26 17.14.37