A Apple está desenvolvendo o seu primeiro headset de realidade virtual (RV), que apresentará um ambiente digital interativo 3D para jogos, assistir a vídeos ou comunicação virtual. O modelo é chamado internamente de N301 e ainda não teve o preço revelado, mas será superior aos seus principais concorrentes, que ficam na faixa de US$ 300 a US$ 900. Com lançamento previsto para 2022, ele vai concorrer com os headsets Oculus, Sony PlayStation VR e HTC do Facebook.

De acordo com este artigo publicado pelo site Bloomberg, o headset deve ter um processador potente e uma ventoinha. A ventoinha é bem incomum, e nos primeiros protótipos, tornou o dispositivo grande e pesado, causando dores no pescoço. Outro aperfeiçoamento é a utilização de tecido no exterior do produto, diferente dos designs de metal e plástico.

Geralmente, aparelhos desse tipo têm um espaço para óculos — assim, quem tem problemas de visão consegue usá-los normalmente. A Apple, porém, retirou esse espaço para deixar seu dispositivo mais compacto. Quem precisar poderá colocar lentes personalizadas com seu grau diretamente no headset.

Alguns protótipos têm câmeras externas acopladas, para servirem como rastreador, e um recurso de reconhecimento de escrita — ainda não se sabe se essa função estará ativa na primeira versão lançada ou se ficará para uma atualização futura.

O headset da Apple foi pensado para funcionar de maneira independente, só com sua própria bateria, sem precisar estar conectado a nenhum aparelho. A empresa até pensou em usar um processador menos potente no aparelho e concentrar o trabalho de processamento em um computador ou smartphone, que enviaria o conteúdo por Bluetooth para o visor, mas acabou desistindo desse formato. A companhia também pretende incluir alguns de seus chipsets mais avançados, superando o desempenho dos processadores do M1 usado nos Macs mais recentes.

A pandemia influenciou diretamente nos resultados obtidos até o momento, pois os engenheiros de hardware trabalhavam em uma escala que não permitiu muitos avanços, o que refletiu nos atrasos na realização de testes de usuários e coleta de dados. Mas, por se utilizar de uma tecnologia relativamente nova, com aplicações direcionadas mais para games, a produção ainda está avaliando o andamento de sua eficiência, que já está na fase final da obtenção do protótipo. Por se tratar de algo não convencional e com um custo elevado, ele deve ir para um mercado de nicho, vendo aproximadamente 180.000 unidades anuais.

Junto com o headset, a Apple também está desenvolvendo um óculos de realidade virtual, com codinome N421, que está em fase inicial. Este produto em especial deve ser revelado somente em 2023.

No ano passado, a Apple adquiriu uma empresa chamada NextVR, que registrava eventos como shows e jogos esportivos em realidade virtual. Segundo o CEO da Apple, Tim Cook, tanto a realidade virtual quanto a realidade aumentada têm potencial, apesar de a primeira ser a maior oportunidade no momento.