Infelizmente, nenhum de nós será um gato. A maioria de nós nunca vai escrever ou publicar um artigo de física também, ainda mais um respeitado. Mas de alguma forma, nos anos 1970, um felino fenomenal chamado Chester conseguiu fazer isso tudo sob a tutela do seu humano, o físico Jack H. Hetherington. Ele até tinha um pseudônimo, F.D.C. Willard. Isso mesmo.

• A história secreta do primeiro gato no espaço
• A história por trás da foto deste astronauta é tão legal quanto seus cachorros

Em novembro de 1975, Hetherington, um professor de física da Michigan State University escreveu um artigo sobre o comportamento do átomos em diversas temperaturas chamado “Two-, Three-, and Four-Atom Exchange Effects in bcc 3He”. Antes de mandar o artigo para a Physical Review Letters, Hetherington percebeu que estava escrevendo “nós” em todo o trabalho, mesmo sendo ele o único autor. Em vez de editar o texto, que foi escrito em uma máquina de escrever, Hetherington espertamente acrescentou seu gato como coautor. De acordo com o Atlas Obscura o pseudônimo de Chester foi inspirado no pai do gatinho, Willard, e o nome científico para o gato doméstico, Felix domesticus. Portanto, F.D.C. Willard sentiu o gostinho da fama científica.

“Two-, Three-, and Four-Atom Exchange Effects in bcc 3He” tem sido citado muitas vezes, e é considerado bem influente até hoje. Mas alguma hora, a verdadeira identidade do coautor de Hetherington foi revelada. Hetherington abraçou a ideia e até assinou algumas cópias do trabalho com a “assinatura” de Chester.

gato-cientistaImagem: Captura de tela via Google Books

Embora Chester possa não ter de fato escrito um artigo de física, de acordo com o consultor de comportamento felino e pesquisador de comportamento animal Mikel Delgado, gatos são criaturas muito inteligentes que gostam de experimentar com o seu ambiente. Talvez eles sejam físicos envoltos em pelos.

“Acho que todos os animais são inteligentes porque ainda estão no planeta, apesar dos humanos estragar seu ambiente e também por serem bons em coisas específicas”, Delgado disse ao Gizmodo. “Gatos são bons predadores e em prever o movimento de suas presas, os tornando caçadores eficientes. Eles também podem explorar os recursos humanos e sobreviver sem nós”.

Donos de gatos são bem cientes dos “experimentos científicos” de seus bichos, o que geralmente envolve jogar coisas no chão sem motivo aparente.

“Acho que seres que derrubam coisas de prateleiras geralmente estão entediados”, Delgado disse. “Eles estão vendo se podem fazer algo em seu ambiente interagir com eles, e geralmente, quando eles derrubam coisas de prateleiras, muitas pessoas vão notar que o gato está olhando para elas”. Aparentemente, os gatos fazem isso porque eles aprenderam a chamar a nossa atenção, então claramente, eles entendem a resposta a estímulos. Gatos usariam ciência para seus fins.

Apesar de F.D.C. Willard ter morrido há muito tempo, seu legado perdura. Esperamos que mais cientistas sigam os passos de Hetherington porque, francamente, a física precisa de mais gatos.

“Acho que mais cientistas podem querer creditar seus gatos pela sua ajuda”, disse Delgado.