Um enorme iceberg que pesa mais de 350 bilhões de toneladas se soltou da plataforma de gelo Amery na Antártica.

A AFP relata que o evento aconteceu em algum momento entre 24 e 25 de setembro, conforme evidenciado pelas imagens de satélite dos EUA e da Europa. Apelidado de D28, ele mede 1.636 quilômetros quadrados em área total, segundo o Scripps Institution of Oceanography, Isso é aproximadamente o tamanho de Rhode Island ou 22 vezes o tamanho da ilha de Manhattan, em Nova York. O iceberg mede cerca de 210 metros de espessura e pesa cerca de 350 bilhões de toneladas.

O icerberg surgiu da plataforma de gelo Amery, na Antártica, a terceira maior plataforma flutuante de gelo no continente congelado. Essa plataforma de gelo em particular não produz um iceberg assim desde os anos 1960, quando gerou um iceberg gigantesco medindo 9.000 quilômetros quadrados, de acordo com a BBC.

O D28 está vagando lentamente para o oeste, pois é empurrado pelas correntes e ventos do oceano. Pode levar anos para o iceberg se separar completamente e se dissolver no oceano. Consequentemente, o D28 está sendo observado de perto por satélite, pois representa uma ameaça potencial para os navios que passam pela área.

Mapa da Antártida mostrando a localização da plataforma de gelo AmeryMapa da Antártica mostrando a localização da plataforma de gelo Amery. Crédito: NASA/MODI

O derretimento do iceberg não afetará o nível do mar porque as plataformas de gelo já deslocam pela água. A plataforma de gelo Amery serve como um importante canal de drenagem para a porção leste da Antártica. Com o tempo, as geleiras fluem da terra para o mar, formando uma plataforma de gelo flutuante. Eventualmente, o acúmulo de toda essa neve e gelo faz com que grandes pedaços caiam no mar, em um processo geológico completamente normal e recorrente. A plataforma de gelo Amery tem de 60 a 70 anos, de acordo com o Instituto Scripps, e esse último evento — que foi previsto — não está vinculado à mudança climática.

“É realmente importante que o público não fique confuso e pense que isso é resultado da mudança climática”, disse à AFP a especialista em glaciologia da Scripps, Amanda Fricker. Ao que ela acrescentou em um tuíte da Scripps: “Este evento faz parte do ciclo normal da plataforma de gelo e, embora haja muito o que se preocupar na Antártica, ainda não há motivo de alarme para essa plataforma de gelo em particular”.

Tradução: O novo bloco maciço de gelo que partiu foi designado “D-28”. As imagens de satélite continuarão monitorando o novo iceberg, pois pode se tornar um perigo para transporte [marítimo].

Fricker diz que esse evento ressalta a importância de observações de longo prazo na Antárticca para entender o ciclo natural das camadas de gelo, para que os cientistas possam desvincular melhor os eventos induzidos pelas mudanças climáticas do ciclo natural.

Dito isto, esse evento de separação em particular pegou os cientistas da Scripps um pouco de surpresa, pois eles esperavam que outra parte da plataforma de gelo Amery — uma região apropriadamente apelidada de “dente solto” — se rompesse. Assim, embora os cientistas soubessem que um evento deste era iminente, eles haviam identificado a seção errada.

Além de acompanhar o progresso do D28, os cientistas também monitorarão a própria plataforma de gelo Amery para ver como a perda de uma seção tão gigantesca pode afetar sua estabilidade.

A Antártica Oriental é o lar de algumas das plataformas de gelo mais estáveis do continente. Embora a pesquisa publicada no início deste ano mostre que está perdendo gelo e tenha feito contribuições mensuráveis para o aumento do nível do mar, o afastamento da região significa que os cientistas ainda estão aprendendo mais sobre ele a cada ano.

Apesar de ser gigante, o D28 não é a maior porção de gelo da Antártica nos últimos anos. Em 2017, a plataforma de gelo Larsen C liberou um iceberg, apelidado de A68, que media 5.800 quilômetros quadrados de área total. O A68 produziu um iceberg menor em 2018, de forma estranhamente geométrica — uma estrutura atraente, conhecida como iceberg tabular.