Durante o terceiro trimestre de 2020, foram vendidos um total de 353,6 milhões de smartphones ao redor do mundo. De acordo com o relatório mais recente do International Data Corporation (IDC), isso representa uma queda de 1,3% em relação ao mesmo período no ano passado. Ainda assim, o resultado é visto como algo positivo, considerando as circunstâncias econômicas que os países vêm enfrentando em meio à pandemia de COVID-19. A previsão inicial do IDC para o período era de uma queda de 9% nas vendas, mas a reabertura da economia e flexibilização das restrições contribuiu para o cenário mais otimista.

Em mercados emergentes, essa recuperação se mostrou ainda mais acentuada, incluindo Índia, Brasil, Indonésia e Rússia. Segundo a publicação do IDC, a diretora de pesquisa do relatório Worldwide Mobile Device Trackers, Nabila Popal, explica que parte do crescimento nas vendas se deve às promoções e descontos oferecidos nesses países. Além disso, a educação à distância gerou uma demanda maior por dispositivos, o que na Índia representou uma alta nas vendas de telefones “low-end” (aqueles celulares mais simples e com preço acessível).

Por outro lado, as regiões com economia mais forte, como China, Europa Ocidental e América do Norte, apresentaram as maiores quedas no terceiro trimestre. Parte disso pode ser atribuído ao atraso no lançamento do iPhone 12, segundo o IDC. Porém, a chegada do 5G tem se mostrado um fator importante para impulsionar as vendas, com uma série de fabricantes e operadoras promovendo a tecnologia e seus produtos que oferecem suporte a ela. Confira abaixo os principais resultados de cada empresa do top 4:

Samsung

A sul-coreana conquistou a primeira posição em vendas de smartphones no terceiro trimestre de 2020, com um market share de 22,7% e 80,4 milhões de celulares vendidos — um aumento de 2,9% em relação ao mesmo período no ano passado. Na Índia, maior mercado da Samsung, a taxa de crescimento anual atingiu quase 40% devido à alta demanda por aparelhos abaixo de US$ 250, como os modelos da série M. Nos EUA, segundo maior mercado da empresa, os campeões de venda foram os modelos da série A, Note 20 e Note 20 Ultra.

Huawei

No terceiro trimestre, a Huawei caiu para segunda posição, contabilizando 51,9 milhões de smartphones vendidos e 14,7% de market share. Em relação ao ano passado, a queda nas vendas foi de 22%. Um dos principais fatores que impactaram o resultado, segundo o IDC, são as sanções impostas pelos EUA, que acabaram prejudicando inclusive as vendas na China, já que a empresa tem limitado o envio de produtos para tentar lidar com a situação a longo prazo.

Xiaomi

Ocupando a terceira posição no ranking global, a Xiaomi vendeu um total de 46,5 milhões de dispositivos, com 13,1% de market share e um crescimento de 42%. Essa é a primeira vez que a fabricante chinesa supera a Apple em vendas. Os mercados que mais contribuíram para o resultado foram a Índia, onde a Xiaomi chegou a quase 85% do volume de vendas do período pré-pandemia, e a China, responsável por 53% das vendas no terceiro trimestre. Em relação aos produtos, tiveram destaque o Redmi 9, Redmi K30 Ultra e MI 10 Ultra.

Apple

A Apple apresentou um dos piores desempenhos em relação aos concorrentes, com 41,6 milhões de iPhones vendido no terceiro trimestre desse ano e uma queda de 10,6% em comparação a 2019. O market share foi de 11,8%, colocando a empresa na quarta posição. A principal explicação é o atraso no lançamento do iPhone 12 e, por esse mesmo motivo, a expectativa é de um crescimento acentuado nos próximos meses.