A Impossible Foods, startup que produz hambúrgueres de proteína vegetal que se parecem com os de proteína animal, parece que está dando um passo maior rumo à popularização de seu produto. Nos EUA, os consumidores poderão comer hambúrgueres da companhia em lojas selecionadas do Burger King, em Saint Louis (Missouri).

O anúncio foi feito em um vídeo publicado no YouTube do Burger King (abaixo em inglês) em que a rede de fast food mostra uma espécie de teste cego. No caso, esses clientes comem um Whooper e, na sequência dão um depoimento sobre o sanduíche. O narrador diz que “as pessoas são reais e as reações são reais”.

Após falarem do quanto gostam do Whooper e do quanto gostam de carne, é revelado aos consumidores que o hambúrguer que eles comeram não era de origem animal, mas era feito de proteína vegetal (no vídeo é usado o termo “plants”  – plantas, na tradução literal –, mas soa impreciso pensar que ao juntar plantas surja algo com gosto de hambúrguer, então aqui prefiro usar proteína vegetal, pois existe todo um processo químico para se chegar ao resultado).

No vídeo, as pessoas dizem que não parecia que o hambúrguer não era feito de carne bovina e que não tinham notado grande diferença.

Propaganda do Impossible Whopper, o sanduíche do Burger King com hambúrguer da Impossible FoodsCrédito: Divulgação

A iniciativa marca a entrada da Impossible Foods numa grande rede de fast food. Desde 2015, quando começou a disponibilizar seus hambúrgueres, a empresa tem fornecido seu produto apenas para restaurantes selecionados, e para produtos como recheio para tacos ou até mesmo almôndegas.

A Impossible Foods existe desde 2011, já recebeu grana até do Bill Gates e do Google, e tem como objetivo fazer produtos de proteína vegetal que se pareçam e tenham gosto muito parecido com os de proteína animal. De forma resumida: é fazer “comida vegetariana” com gosto de “comida para carnívoros”.

A razão para esta abordagem tem relação com os altos custos de produção de proteína animal. Projeções da FAO (Organização das Nações Unidas para Alimentação e Agricultura) indicam que existe uma tendência de aumento de consumo de carne vermelha e que se não houver mudança na forma de produção, pode haver escassez que, por sua vez, deve aumentar o preço deste tipo de proteína.

No início do ano, em Las Vegas, tivemos a oportunidade de provar uma nova receita da Impossible Foods. No caso, eles substituíram a proteína de trigo pela de soja, o que ajudou a tornar o hambúrguer mais firme. De modo geral, o gosto agradou, no entanto, se você der uma olhada na foto, vai conseguir notar que a cor dele é diferente, apesar da textura lembrar bastante a de carne. Ele é ainda composto por óleo de coco, óleo de girassol, além da proteína de batata e o heme (“um ingrediente secreto que faz o hambúrguer chiar quando está fritando”).

Enquanto o preço da carne não atinge níveis astronômicos, a Impossible Foods continua a aumentar a disponibilidade de seu produto em restaurantes pelo mundo — além dos EUA, Canadá e Hong Kong contam com estabelecimentos com produtos Impossible Foods. Neste ano, a empresa promete começar a vender em varejistas e vai ser interessante notar a diferença do preço do hambúrguer deles para um convencional.

[Engadget e Burger King]