O ano de 2017 tem sido brutal no norte da Califórnia, onde uma série de incêndios florestais queimaram centenas de milhares de hectares de terra e deixaram dezenas de mortos e desaparecidos. O fogo mortal do incêndio Tubbs, que, estima-se, queimou aproximadamente 5.300 estruturas ao longo do 14.895 hectares e matou pelo menos 22 pessoas, também acabou com documentos insubstituíveis que traçavam o crescimento da fabricante de computadores Hewlett-Packard (hoje duas empresas separadas) e os anos iniciais do Vale do Silício.

De acordo com o Press Democrat, o incêndio percorreu uma trilha através da sede da Keysight Technologies em Fountaingrove, uma spinoff da spinoff da HP Agilent Technologies, queimando uma estrutura modular em que papeis pessoais e de negócios dos cofundadores da HP, William Hewlett e David Packard, estavam armazenados. Avaliadores estimaram que os documentos valiam até US$ 2 milhões em 2005; antiga arquivista da HP, Karen Lewis contou ao jornal que os arquivos haviam sido anteriormente mantidos em cofres especiais, com retardantes de chamas.

“Isso poderia ter sido facilmente prevenido, e é uma enorme perda”, disse Lewis, acrescentando que os documentos deveriam ter sido armazenados em uma instituição pública. Ela disse que, quando havia montado a coleção em 1988, percebeu: “Meu deus, essa é a história do Vale do Silício… Essa é a história da indústria de eletrônicos”.

Jeff Weber, porta-voz da Keysight Technologies, contou ao jornal que eles haviam tomado “medidas apropriadas e responsáveis para proteger os arquivos da empresa”, mas afirmou que “a tempestade de fogo mais destrutiva da história do estado” derrotou as tentativas de proteger a coleção. Ele acrescentou que uma porção maior de arquivos ainda estava nas mãos da HP.

Hewlett e Packard fundaram a empresa em 1939, em uma garagem em Palo Alto a que a companhia agora se refere como “o local de nascimento do Vale do Silício“. De acordo com o Press Democrat, a instalação em Fountaingrove, no condado de Sonoma, foi criada em 1975 e “consistentemente focou em equipamentos de testes e medições”, o que ajudou a preparar terreno para o desenvolvimento de dispositivos subsequentes da empresa, como computadores pessoais.

Embora maior parte dos incêndios devastadores que atravessaram o norte da Califórnia neste ano tenha sido contida, o esforço de recuperação deverá levar anos, segundo a CBS News. A ameaça posta à região pelos incêndios está crescendo, e cientistas dizem que as chamas foram exacerbadas por padrões de seca relacionados à mudança climática, depois de períodos de forte chuva, o que cria grandes quantidades de combustível.

Weber enviou ao Gizmodo um contexto extra sobre os itens perdidos nas chamas, dizendo que a Keysight está “triste pela perda de documentos que nos lembram de nossos fundadores visionários, nossa rica história e a linhagem até a startup inicial no Vale do Silício”. Ele acrescentou que a Keysight “cumpriu e excedeu os padrões mais rigorosos de proteção de arquivos” e que os documentos estavam armazenados no local porque a empresa havia concluído que eles estariam melhor preservados lá.

Você pode ver o restante do comunicado de Weber a seguir:

Uma porção de arquivos históricos da Keysight Technologies, incluindo itens do período da empresa como parte da Agilent Technologies e da Hewlett-Packard, estava entre a propriedade perdida quando um edifício na sede da Keysight em Santa Rosa foi destruído no incêndio Tubbs em 9 de outubro. Entre os itens perdidos, estão alguns documentos dos fundadores Bill Hewlett e Dave Packard.

Muitas partes dos arquivos da Keysight não foram afetadas pelo incêndio. Uma série de produtos históricos não foi danificada porque estava situada em outras partes da instalação em Santa Rosa, que sofreu apenas danos menores. Outros materiais de arquivo da empresa, como produtos históricos, catálogos de produtos e manuais, algumas correspondências de Dave Packard e outras coleções de pesquisa da empresa, também não foram afetados porque estão armazenados em outros locais da Keysight. Além disso, alguns arquivos haviam sido anteriormente salvos digitalmente e, portanto, também não foram afetados pelo fogo.

[Press-Democrat/Quartz]

Imagem do topo: AP