Meses depois de barrar o TikTok, a Índia está proibindo dezenas de outros aplicativos ligados à China — o mais recente desdobramento de uma disputa entre os dois países. Desta vez, a Índia baniu vários aplicativos da gigante tecnológica chinesa Tencent, incluindo versões para celular do jogo PUBG (PlayerUnknown’s Battlegrounds).

O ministro indiano responsável por tecnologia da informação e eletrônica na Índia disse na quarta-feira (2) que proibiu 118 aplicativos por “roubarem e transmitirem de forma sorrateira dados de usuários” — o comportamento, disse ele, prejudica a segurança nacional. Incluídos na proibição estavam PUBG Mobile Lite e PUBG Mobile Nordic Map: Livic, que estão atualmente disponíveis no Google Play e na App Store. Outros aplicativos barrados incluem Alipay, Tencent Weiyun e o app VPN for TikTok.

Embora o PUBG propriamente seja de propriedade da empresa sul-coreana Bluehole, suas versões móveis são publicadas pela Tencent, que também possui propriedade parcial do Fortnite, propriedade total do League of Legends e participações significativas em empresas tão variadas como Warner Music Group, Spotify e Tesla.

“No interesse da soberania e integridade da Índia, defesa da Índia e segurança do Estado. E usando os poderes soberanos, o governo da Índia decidiu bloquear o uso de certos aplicativos, usados em dispositivos móveis e dispositivos sem internet”, disse o ministro em um comunicado de imprensa. “Essa mudança salvaguardará os interesses de milhões de usuários indianos de celulares e internet. Esta decisão é um movimento direcionado para garantir a segurança, proteção e soberania do ciberespaço indiano.”

Um porta-voz do PlayerUnknown’s Battlegrounds não retornou imediatamente ao pedido do Gizmodo para comentar o banimento.

O desenrolar desta semana segue uma série de outras proibições de aplicativos vinculados à China pelo governo indiano, incluindo o app de vídeos curtos TikTok, que era bastante popular no país. Na época, a empresa disse que “continua cumprindo todos os requisitos de privacidade e segurança de dados de acordo com a lei indiana e não compartilhou nenhuma informação de nossos usuários na Índia com nenhum governo estrangeiro”. O TikTok foi um dos 59 aplicativos barrados em junho, com um bloqueio adicional de 47 outros aplicativos em julho.

As proibições em andamento seguem uma disputa de fronteira em curso e crescente entre os dois países. Em junho, um confronto entre as duas nações deixou pelo menos 20 soldados indianos mortos. Em julho, em uma declaração compartilhada com a CNN Business, um porta-voz do Ministério das Relações Exteriores na China pediu que a Índia “criasse um ambiente justo e não-discriminatório para a cooperação econômica e comercial” entre os dois países.