Depois do anúncio dos processadores de alta performance para computadores portáteis, a Intel revelou que a 10ª geração de processadores para desktop estão chegando também. Não são notícias surpreendentes, mas a companhia tornou o lançamento interessante. Há muito o que falar sobre esses processadores para além das velocidades de clock e nanômetros, como circuitos integrados menores e novos chipsets.

Já tratando do elefante na sala, os novos processadores para desktop da Intel ainda estão na plataforma “antiga” de 14nm. E mesmo que essa plataforma seja velha, é impressionante que a Intel consiga oferecer melhorias constantes há mais de 5 anos – a Skylake, CPUs série-6000 da Intel, foi lançada em 2015 e era a segunda versão de seu transistor de 14nm, mas a primeira de sua série de processadores ‘lake’, que agora tem foco nas linhas gamers.

É bastante tempo conseguindo obter mais da mesma plataforma de 14nm, especialmente se você considerar que eles conseguem bater de frente com a performance da plataforma de 7nm da AMD.

Por exemplo, a Intel conseguiu diminuir a espessura do circuito integrado de todos os seus processadores desktop de 10ª geração. Com um circuito STIM (material de interface térmica de solda) mais fino, a Intel diz que esses novos processadores terão melhor performance térmica em comparação com as gerações anteriores.

Isso significa que os processadores conseguirão rodar a uma velocidade e temperatura maiores por mais tempo. A companhia também oferecerá melhorias de overclocking com ajustes mais finos, incluindo habilitação ou desabilitação do HyperThreading por cada núcleo, além de introduzir a próxima versão da sua tecnologia Turbo Max (3.0), que identifica automaticamente os núcleos de melhor performance para dar a eles um reforço.

As CPUs de 7nm da AMD são impressionantes por si só; desde a introdução de sua linha de processadores Ryzen, a empresa se posicionou firmemente como uma séria concorrente da Intel, e temos visto isso tanto no desempenho quanto no preço com sua atual série para desktops. A briga entre as duas marcas não vai acabar tão cedo, mas eu nem gostaria que acabassem; mais opções para consumidor é uma coisa boa, e ambas as empresas estão fazendo coisas legais com seus processadores.

17 processadores de uma só vez

Então, vamos falar sobre a linha de processadores para desktop de 10ª geração da Intel. Assim como a 9ª geração, a marca está lançando diversos modelos entre as linhas Core i9, i7, i5 e i3, com a linha Core i5 tendo a maioria das configurações. São 17 processadores no total.

O processadores com final “K” serão os primeiros a chegar no mercado, com disponibilidade prevista para maio de 2020. A Intel não tem uma data de lançamento específica, nem uma janela de tempo para o lançamento de pacotes com as fabricantes de computadores. Além disso, os preços são para o atacado, então o preço do varejo deve ser mais alto.

Core i9 de 10ª geração

Na ponta mais potente, estão os i9-10900K, i9-10900KF, i9-10900, i9-10900, e i9-10900F.

Os quatro são processadores de 10 núcleos/20-threads e têm uma velocidade de 5,0 GHz, mas podem chegar a um pouco mais que isso com o uso das tecnologias Turbo Boost da Intel.

Para o i9-10900 e i9-10900F o boost máximo é de 5.2GHz, (a velocidade base para ambos é de até 2.8GHz), e para o i9-10900K e i9-10900KF o boost máximo é de 5.3GHz (a velocidade base para ambos é de até 3.7GHz).

O i9-10900K e o i9-10900 vêm com a GPU Intel UHD Graphics 630 integrada, mas apenas o i9-10900K é desbloqueado para overclock, juntamente com o i9-10900KF (daí o K). O consumo de energia dos modelos desbloqueados é de 125W – para o restante, apenas 65W.

Todas as versões do i9 suportam RAM DDR4-2933 dual channel.

Agora, os preços:

  • i9-10900K – US$ 488
  • i9-10900KF – US$ 472
  • i9-10900 – US$ 440
  • i9-10900F – US$ 422

Os preços estão alinhados com os valores de lançamento dos Core i9 de 9ª geração. Na ponta mais alta, o Core i9-9900K tinha preço sugerido de US$ 500, enquanto o mais barato, Core i9-9900, saía por US$ 440.

Parece que a Intel baixou seus preços para ser mais competitiva com a AMD, mas como ainda está usando a mesma plataforma de 14nm, dá para explicar os preços um pouco menores. Conforme a tradução de preços da Intel, os preços iniciais não caíram tanto assim.

Em termos de desempenho, a Intel diz que suas CPUs de 10ª geração de alta performance podem alcançar um aumento de 10% a 33% de quadros por segundo em games como PUBG, Mount and Blade II: Bannerlord, e Monster Hunter World: Iceborne se comparados com o Core i9 de 9ª geração.

Quando comparado com o Core i7 de 7ª geração, o aumento de performance em fps vai para 37% a 81%. Criadores de conteúdo também podem desfrutar de um ganho generoso de desempenho: aumento de 18% para edição de vídeos 4K em relação ao Intel Core i9 da geração anterior e um aumento de 35% em relação ao Core i7 de 7ª geração.

Evidentemente, esses números podem variar dependendo a configuração do seu computador; a Intel fez os testes com uma Nvidia GeForce RTX 2080 Ti, que é bastante cara.

Core i7 de 10ª geração

Entre os processadores de altíssima performance e média performance, temos os i7-10700K, i7-10700KF, i7-10700 e i7-10700F.

Os processadores com final “K” podem chegar a 5.1GHz (3.8GHz base) com TDP de 125W, e os outros modelos a 4.8GHz (2.9GHz base) com TDP de 65W.

Os i7-10700K e i7-10700 têm Intel UHD Graphics 630, e todos os quatro suportam RAM DDR4-2933 dual channel e são processadores de 8 núcleos/16-threads.

Preços:

  • i7-10700K – US$ 374
  • i7-10700KF – US$ 349
  • i7-10700 – US$ 323
  • i7-10700F – US$ 298

Core i5 de 10ª geração

No campo dos intermediários, temos os i5-10600K, i5-10600KF, i5-10600, i5-10500, i5-10400 e i5-10400F. São duas variantes a mais em relação aos outros níveis, incluindo o Core i3.

Todos são 6 núcleos/12-threads e suportam RAM DDR4-2933 dual channel. Os processadores desbloqueados (final K) possuem velocidade de boost de até 4.8GHz (4.1GHz base), TDP de 125W, mas apenas o i5-10600K tem Intel UHD Graphics 630.

Preços:

  • i5-10600K – US$ 262
  • i5-10600KF – US$ 237

As coisas ficam mais granulares a partir das variantes do Core i5. Todos possuem TDP de 65W e Intel UHD Graphics 630, fora o i5-10400F, mas as velocidades base e boost diferem:

  • i5-10600 – até 3.3GHz base / 4.8GHz boost (US$ 213)
  • i5-10500 – até 3.1GHz base / 4.5GHz boost (US$ 192)
  • i5-10400 e i5-10400F – até 2.9GHz base / 4.3GHz boost (US$ 182/US$ 157)

Core i3 de 10ª geração

Entre os processadores mais baratos, estão o i3-10320, i3-10300 e i3-10100. Todos são 4-core/8-threads, TDP de 65W e suportam RAM DDR4-2933 dual channel, além de terem chip gráfico Intel UHD Graphics 630. Todos são bloqueados.

Preços:

  • i3-10320 – até 3.8GHz base / 4.6GHz boost (US$ 154)
  • i3-10300 – até 3.7GHz base / 4.4Ghz boost (US$ 143)
  • i3-10100 – até 3.6GHz base / 4.3Ghz boost (US$ 122)

Comparados com os AMD Ryzen 3000-series, parece que a AMD tem opções melhores para um orçamento mais apertado com seu Ryzen 3 3300X. Comparado com o Core i3-10100, ele custa US$ 120 e tem velocidades de clock base/boost de 3.8GHz/4.3GHz. Ainda assim, precisamos compará-los frente a frente nos testes, então ainda veremos.

Novos chipsets, sem PCIe 4.0

Como se essa lista de processadores não fosse suficiente, a Intel tem dois novos chipsets a caminho com suas novas CPUs: os Z490 e H490. As placas-mãe com o chipset Z490 serão a “escolha certeira” se você quiser fazer um overclocking sério. O H490 será melhor combinado com processadores bloqueados e de categoria média para baixo.

Os dois terão suporte a Memória Optane, Wi-Fi 6, suporte a RAM DDR4-2933 dual channel e uma série de outros recursos. Entretanto, se você estiver procurando suporte ao PCIe 4.0, procure a AMD. (O padrão 4.0 duplica a velocidade do slot PCIe).

A Intel tem a Memória Optane PCIe 4.0 pronta desde o início deste ano, mas a empresa não vai lançá-la no mercado tão cedo.

A Intel mencionou anteriormente que planejava iniciar a produção de processadores Ice Lake de 10nm equipados com PCIe 4.0 no segundo semestre de 2020, mas a empresa teve problemas para colocar suas CPUs de 10nm em funcionamento. A Intel anunciou originalmente um atraso na produção até 2019, mas 2019 chegou e já foi embora, então não sabemos se a Intel realmente iniciará a produção no final deste ano ou simplesmente ignorará o resto de seus prometidos chips de 10nm.

A Intel tem sido cética em relação ao PCIe 4.0, dizendo que não há muito benefício para games. E não tem mesmo. O brilho do PCIe 4.0 está nos SSDs e o aumento de velocidade com esse componente.

Na situação atual, o Optane SSD 905P da Intel com interface PCIe 3.0 não consegue superar o desempenho de um SSD Sabrent Rocket com interface PCIe 4.0 – que custa bem menos, inclusive.

Se a criação de conteúdo não é a sua praia, a falta de suporte ao PCIe 4.0 não deve importar muito. Tudo se resume ao que você precisa do processador.