Qualquer um que já tenha ido a um show de hair metal sabe que lasers e fumaça são partes integrais e absolutamente imprescindíveis de qualquer ato musical. Por isso David Schwartz, pioneiro da compressão de áudio, está tentando enfiar as duas coisas dentro de um microfone para alcançar maior fidelidade de gravação.

O vídeo acima explica como a coisa funciona. Essencialmente, a fumaça sobe por um tubo e você fala ou canta neste tubo, fazendo a fumaça lá dentro se mover com a sua voz. O laser então analisa estas partículas se movendo sem interferir com elas de modo algum.

Os microfones normais, apesar de serem ótimos, trabalham com um diafragma que vibra para medir e detectar os sons. A lógica por trás deste novo microfone a laser é que o diafragma impede um sinal fiel do som, ao menos mais do que partículas microscópicas (de 1 a 3 mícrons) flutuando no ar e sendo medidas por um laser.

O segundo vídeo mostra o que interessa: qual o som que um microfone a laser faz? Em uma palavra, poderíamos descrever como "horrendo". Mas estamos presenciando a demonstração do primeiro protótipo de uma tecnologia nova feita por um cara que claramente entende de áudio, então vamos dar um desconto e esperar que as coisas melhorem com o tempo. Além do mais, quando é que lasers nos decepcionaram? [via DVICE]