As janelas do Boeing 787 Dreamliner são fantásticas. Você pode eletronicamente diminuir a luminosidade em cinco diferentes níveis de luz do Sol e visibilidade. Isso é muito melhor do que a janela de avião típica, com as opções de sombra da persiana ou de bloqueio completo da entrada de luz. Mas o mais legal sobre as janelas da Dreamliner é o quão grandes elas são. Por que o 787 consegue suportar janelas maiores, mas os outros aviões não? Basicamente porque o Dreamliner é, em sua maioria, feito de plástico reforçado com fibra de carbono.

• As dúvidas por trás do motor “impossível” de propulsão da NASA
• Qual é a velocidade da escuridão?

A Real Engineering explica que o material composto que compõe maior parte do Dreamliner consegue aguentar mais tensão do que o alumínio tradicional utilizado na fuselagem de aeronaves. E isso é importante porque as janelas bloqueiam o fluxo de tensão na estrutura, e muita tensão poderia levar a rachaduras, que, como você pode imaginar, não são boas para os aviões.

Portanto, as janelas de aviões são ovais porque a tensão flui melhor em torno de janelas ovais do que das quadradas (onde as coisas podem ficar amontoadas). As janelas de aviões também são pequenas porque janelas maiores acabam congestionando demais a tensão. O Dreamliner consegue ter janelas maiores porque seus materiais compostos são mais apropriados para lidar com a tensão do que o metal. Aviões comuns não conseguem, e, por isso, suas janelas são tão pequenas.

Porém, para um mergulho mais profundo nas diferenças entre os dois tipos, veja o vídeo abaixo, em inglês, feito pela Real Engineering.