Ciência

Lar do Spock: planeta Vulcano previsto em “Star Trek” não existe, diz NASA

Em 2018, astrônomos detectaram um hipotético astro que foi rapidamente apelidado como o fictício planeta Vulcano, de "Star Trek"
Imagem: StarTrek.com/Reprodução

A NASA jogou um balde d‘água fria sobre os fãs de “Star Trek”. Em um recente comunicado, a agência espacial confirmou que o aclamado planeta Vulcano não existe na vida real. Na ficção científica, Vulcano é o planeta natal do amado e icônico personagem Spock.

whatsapp invite banner

O NOTE MAIS BEM AVALIADO DA AMAZON
Galaxy Book2 Intel com R$1.100 OFF
R$ 2.899

Durante um dos muitos episódios de “Star Trek“, Spock menciona que o seu planeta orbita 40 Eridani, uma estrela que existe na vida real e que está localizada a 16,5 anos-luz de distância da Terra, na direção da constelação de Eridano, visível no hemisfério Sul.

Por isso, a notícia de 2018 de que astrônomos encontraram um possível exoplaneta orbitando a estrela gerou comoção entre os fãs da franquia. Rapidamente, o hipotético planeta foi apelidado como “Vulcano”.

Quem é o ator que recusou o papel de Sr. Spock em “Star Trek”

Spock, interpretado pelo ator Leonard Nimoy. Imagem: NBC/Reprodução

Inicialmente, os cientistas relataram evidências de que o planeta era uma “super-Terra”, maior que a Terra, mas menor do que Netuno. Ele completaria uma volta ao redor da estrela a cada 42 dias.

Porém, não é de hoje que os cientistas já suspeitavam que a descoberta do planeta — catalogado oficialmente como HD 26965 b — pode ter sido um erro de interpretação dos dados. Agora, cinco anos depois da descoberta, uma equipe de pesquisadores internacionais fez uma nova análise e descobriu que o planeta simplesmente não existe. O The Astronomical Journal publicou o estudo.

Como o “Vulcano” da vida real foi desmentido

Os pesquisadores descobriram que as mudanças sutis na luz em 40 Eridani, detectadas em 2018, não se tratava de um hipotético exoplaneta “puxando” gravitacionalmente a estrela. Os astrônomos observaram que os dados eram simplesmente fruto de atividades que aconteciam na superfície estelar. Uma espécie de “ilusão astronômica”.

Embora a nova descoberta (pelo menos por enquanto) roube à estrela 40 Eridani A o seu possível “planeta Vulcano”, a notícia não é de toda ruim. Os cientistas vão usar o erro para refinar as técnicas de detecção de planetas fora do Sistema Solar.

“A demonstração de tais medições de velocidade radial bem ajustadas mantém a promessa de fazer distinções observacionais mais nítidas entre os planetas reais e os tremores e chocalhos nas superfícies de estrelas distantes”, disse a NASA.

Dessa forma, a notícia deixou muitos fãs de “Star Trek” decepcionados. No entanto, a revelação da NASA não apaga a rica história e o legado cultural da série.

O Giz Brasil pode ganhar comissão sobre as vendas. Os preços são obtidos automaticamente por meio de uma API e podem estar defasados em relação à Amazon.
Gabriel Andrade

Gabriel Andrade

Jornalista que cobre ciência, economia e tudo mais. Já passou por veículos como Poder360, Carta Capital e Yahoo.

fique por dentro
das novidades giz Inscreva-se agora para receber em primeira mão todas as notícias sobre tecnologia, ciência e cultura, reviews e comparativos exclusivos de produtos, além de descontos imperdíveis em ofertas exclusivas