Letterboxd muda sistema de avaliações e prejudica filmes fora dos EUA

"O Auto da Compadecida", anteriormente em quarto lugar entre as melhores avaliações, deixou o top 250 do site
Letterboxd muda sistema de avaliações e prejudica filmes fora dos EUA
Imagem: Focal Foto/Flickr/Reprodução

A rede social preferida dos cinéfilos, o Letterboxd, acaba de alterar a forma de calcular as pontuações dos filmes e a mudança já virou motivo de polêmica. Isso porque, segundo usuários, a alteração prejudica obras fora do eixo EUA e Europa, como títulos latino-americanos.

whatsapp invite banner

Com os novos critérios, notas de filmes brasileiros, como o indicado ao Oscar “Central do Brasil” (1998) e “Pixote, a Lei do Mais Fraco” (1980), caíram na plataforma. Já “O Auto da Compadecida” (2000), anteriormente em quarto lugar entre as melhores avaliações, deixou o top 250 do site. O longa-metragem foi de 4,7 para 3,9 estrelas.

O anúncio oficial da rede diz que o objetivo das mudanças é evitar “distorções de classificação”. Isso, segundo o texto, ocorre “sempre que a média ponderada falha em capturar o sentimento de toda a nossa comunidade em relação a um filme”.

No site, usuários avaliam filmes com até 5 estrelas, informação que o Letterboxd usa para calcular a média das avaliações.

Como funciona a avaliação do Letterboxd?

De acordo com a plataforma, antes o sistema poderia sofrer influência, positiva ou negativa, de uma campanha concentrada ou porque um filme foi amado em uma região ou porque os superfãs chegaram nele primeiro.

Por essa razão, estreias recentes como “Homem-Aranha: Através do Aranhaverso”, acabam bombando rapidamente no site, por exemplo.

No início do mês, a animação alcançou o primeiro lugar nas melhores avaliações da plataforma, com 4,7 estrelas. Com a atualização, o filme caiu para sétimo lugar, enquanto o drama samurai “Harakiri” (1962) passa a ocupar o primeiro lugar.

Da mesma forma, produções mais progressistas podem receber um bombardeio de críticas negativas, tanto no Letterboxd quanto em outras plataformas. É o caso de “Cleópatra”, da Netflix, bem como “Capitã Marvel” e “Star Wars: O último Jedi”.

Sem prolongar a explicação, o Letterboxd declarou que está fazendo “um trabalho melhor ao identificar padrões incomuns de atividades de classificação”.

Estrangeiros já acusaram “O Auto da Compadecida”, por exemplo, de ter uma pontuação inflada por bots ou campanhas de brasileiros, uma vez que não tem a mesma popularidade no exterior.

A ação resultou em acusações de xenofobia nos comentários do anúncio no Twitter. Apesar da polêmica, o Letterboxd afirmou que “todos os membros que classificam um filme são incluídos”, com apenas uma classificação por membro para cada filme.

Isabela Oliveira

Isabela Oliveira

Jornalista formada pela Unesp. Com passagem pelo site de turismo Mundo Viajar, já escreveu sobre cultura, celebridades, meio ambiente e de tudo um pouco. É entusiasta de moda, música e temas relacionados à mulher.

fique por dentro
das novidades giz Inscreva-se agora para receber em primeira mão todas as notícias sobre tecnologia, ciência e cultura, reviews e comparativos exclusivos de produtos, além de descontos imperdíveis em ofertas exclusivas