Em uma semana, a rede social Google Buzz passou por um grande lançamento, uma pequena correção, uma grande limpeza e, agora, um pedido de desculpas. O gerente de produto do Buzz disse que a equipe dele "sente muito, muito" e que (mais) correções estão chegando esta semana.

Todd Jackson, gerente de produto do Buzz, disse à BBC News que o Buzz foi testado internamente por 20.000 funcionários e afiliados do Google, mas que eles deveriam ter solicitado um teste público mais amplo antes de lançarem o serviço. A matéria da BBC oferece um bom resumo dos problemas que os usuários e pessoas preocupadas com privacidade encontraram no serviço, como o compartilhamento público de seguidores e seguidos (que já foi corrigido).



Blá, blá, blá, e agora, o que acontece? Jackson disse que melhorias na "transparência e controle" chegarão ao Buzz "esta semana":

Outras possíveis mudanças incluem um "menu de preferências" que permitirá aos usuários ajustar melhor o que aparece na caixa de entrada deles, e uma opção "mudo" mais proeminente para desligar o serviço.

Outra ideia, disse Jackson, é criar um serviço separado que não faça parte do Gmail.

"Nós acreditamos que a integração com o Gmail foi absolutamente o jeito certo — nós queríamos tornar o Buzz facilmente acessível às pessoas", disse. "Nós também queremos dar às pessoas que não usam Gmail a capacidade de usar o Buzz, então estamos explorando a ideia de oferecer um site separado."

Jackson disse que as novas mudanças e funções estão sendo testadas para encontrar (e eliminar) bugs, e traduzidas em 53 idiomas, então todos deveremos ver uma grande melhora no Buzz em breve.

É bom ver que o Google reconhece as próprias falhas e age com rapidez para lidar com os problemas dos seus usuários. Por outro lado, esse processo de aprender com os erros está acontecendo com dados privados dos outros. O que você quer ver de melhoria no Buzz? [BBC News]