Com o Light Phone 2, o time por trás do minimalista Light Phone que estourou no Kickstarter em 2015, continua a explorar o equilíbrio entre estar conectado e preservar a saúde mental. É um dispositivo econômico e independente que repensa como um smartphone deve ser.

Com um alto número de aplicativos, gadgets e plataformas de mídias sociais constantemente implorando pela nossa atenção, as pessoas estão começando a descobrir que a internet pode ser exagerada, coisa demais para a cabeça. Mas ao mesmo tempo, estar completamente desconectado não é uma opção viável para a maioria das pessoas.

Numa tentativa de promover o bem estar digital que vai além de filtros azuis e desabilitação de notificações irritantes, o Light Phone original fazia apenas uma coisa: ligações.

Em um primeiro momento, o Light Phone 2 faz apenas ligações, envia mensagens de texto e serve como um alarme. Porém, algumas funcionalidades como GPS e suporte para aplicativos de transporte devem chegar até o final do ano. Foto: Sam Rutherford/Gizmodo

O Light Phone era tanto um experimento filosófico quanto um desafio de projeto, na tentativa de incluir a essência da comunicação em um pequeno dispositivo. E embora ele tenha cumprido o seu papel, a sua natureza de um propósito único impedia que ele fosse um substituo aos smartphones. Em vez disso, ele servia como um aparelho reserva ou uma escolha alternativa para os momentos que você queria eliminar as distrações.

O Light Phone 2 compartilha os mesmos princípios de design de seu antecessor, apresentando uma aparência ultraminimalista tanto por dentro quanto por fora. Ele é ligeiramente menor do que um cartão de crédito, tem botões liga/desliga, de ajuste de volume e para acessar o menu e só se diferencia no exterior por sua tela e-ink sensível ao toque, de 2,8 polegadas.

Por outro lado, no software, o LightOS é austero. O LightOS, ao ser desbloqueado, traz imediatamente para a tela o registro de suas ligações recentes e mensagens, enquanto que apertar o botão menu apresenta três funções: Ligação, Alarme e Configurações. E é isso, pelo menos no começo.

Ao remover a possibilidade de instalar mais aplicativos, o Light Phone 2 espera que você passe mais tempo focando no mundo real, em vez de checar constantemente os seus e-mails ou ver se alguém curtiu seus posts no Instagram.

No entanto, para um dispositivo que deveria ser um verdadeiro substituto de um smartphone, fazer ligações e definir alarmes não é o suficiente. E o time de desenvolvimento sabe disso. Por isso, existem planos para a adição de funcionalidades como mapas com GPS, reprodução de músicas, aplicativos de carona, compartilhamento de internet (tethering) e algumas outras características. Tudo isso deve ser liberado até o final deste ano.

Por ter uma tela e-ink, é possível que você veja vestígios de telas anteriores. Foto: Sam Rutherford/Gizmodo

Isso não significa que os criados do Light Phone irão abrir a porteira para centenas de aplicativos. Até porque, se o fizessem, o aparelho não seria nada diferente de um smartphone comum. E é aqui que o processo de decidir quais tipos de funcionalidades são verdadeiramente essenciais entra em cena.

Os desenvolvedores receberam pedidos dos usuários e tentam balancear o objetivo de preservar o bem estar digital e manter a sua privacidade.

Embora o Light Phone possa se conectar com redes 4G LTE, ele nunca terá e-mails, feeds de notícias, um navegador de internet, aplicativos de mídias sociais ou anúncios. Isso significa que, para incluir aplicativos de carona, o time do aparelho planeja trabalhar junto com empresas como Lyft e Uber para criar versões customizadas desses aplicativos que possam solicitar corridas, mas sem nenhuma das funcionalidades de rastreamento que estão presentes nos aplicativos padrão do iOS e Android.

A tela do Light Phone 2 é muito pequena, então você só consegue digitar no modo paisagem. Foto: Sam Rutherford/Gizmodo

Inclusive, embora o Light Phone 2 possa se conectar às principais operadoras de telefonia dos Estados Unidos, como Verizon, AT&T e T-Mobile, os desenvolvedores estão trabalhando na criação de uma rede de celular virtual (MVNO) para manter a visão da companhia de uma internet mais respeitosa e simples. O serviço estará disponível nos EUA por US$ 30 mensais.

O Light Phone 2 está sendo trabalhado constantemente, e mesmo assim, é uma delícia de usar – é como se você estivesse mexendo num aparelho basicão misturado com o Kindle. Quando está bloqueado, sua tela mostra apenas o relógio e o nível de bateria – enquanto um asterisco do lado do relógio indica que você tem uma mensagem não lida.

A tela não incomoda os olhos e tem uma contraluz, além de sensores de luminosidade para que você possa usá-lo mesmo no escuro. E mesmo que a taxa de atualização de telas e-ink não chegue perto do que temos em painéis LCD e OLED, ela funciona como deveria.

Quando alguém te envia uma imagem por SMS, tudo o que você vê é um pequeno ícone de paisagem. Aquele negócio esquisito no final da primeira linha da mensagem é como são exibidos os emojis. Foto: Sam Rutherford/Gizmodo

Com a tela e-ink e as funcionalidades limitadas, a autonomia de bateria é prolongada. Dá para deixá-lo longe da tomada entre dois e três dias com um uso normal e cerca de sete ou dez dias no stand-by.

O Light Phone 2 tem ainda uma entrada para fones de ouvido e Bluetooth embutido para a reprodução de músicas – função que deve ser adicionada via atualização de software.

Existem algumas limitações que podem incomodar ou até se tornar um problema para algumas pessoas. Devido a insistência da companhia de manter coisas que chamam a atenção longe do celular, é impossível ver uma imagem que alguém te enviou por mensagem – tudo o que você vê é o ícone de paisagem indicando que há uma imagem ali, mas não há nenhuma maneira de visualizá-la. Os criadores dizem que estão considerando adicionar uma maneira de ver essas imagens em um navegador web, mas nada foi decidido. A mesma coisa vale para os emojis, que não são exibidos corretamente.

Além disso, pelo fato de sua tela e-ink não atualizar completamente como o display tradicional de um smartphone, você pode ver um resíduo da tela anterior, seja um menu ou um texto que você tenha acabado de ver. É algo que preocupa um ponto do ponto de vista da segurança, já que outras pessoas poderiam visualizar suas senhas ou parte de uma mensagem de texto delicada, caso você não seja cuidadoso. Esse problema pode ser evitado se você pressionar o botão de bloqueio, que atualiza a tela completamente – é só lembrar de fazer isso caso entregue o telefone para um amigo fazer uma ligação, por exemplo.

Foto: Sam Rutherford/Gizmodo

Seja escolhido para servir como um smartphone independente ou um dispositivo secundário, o Light Phone 2 é muito diferente de tudo o que temos disponível no mercado. Para as pessoas que estão exatas do estresse e frustração causadas muitas vezes por estar constantemente conectadas, o aparelho para uma alternativa criteriosa.

O Light Phone 2 custa US$ 350 (R$ 1.430, na cotação atual) e está sendo enviado para os apoiadores da campanha de financiamento coletivo do Indiegogo. Ele estará disponível em pré-venda no site da companhia a partir desta quinta-feira (5).