Linus Torvalds, o fundador do sistema operacional de código aberto Linux, tem liderado a sua comunidade de desenvolvedores com bastante sarcasmo, insultos e até mesmo abusos. Já faz três décadas que é assim e muita gente pensa que chegou a hora de mudar. No domingo (16), Torvalds enviou um e-mail afirmando que vai se afastar por um tempo para refletir sobre si mesmo e tentar deixar de ser um otário.

• Criador do Linux chama correções da Intel para Spectre e Meltdown de “lixo completo”
• Microsoft declara seu amor ao código aberto entrando na Linux Foundation

Torvalds é uma lenda dentro da comunidade open source pela maneira com que se manteve a seus princípios e levou um projeto livre a ser algo gigantesco. Mas o trabalho open source é, em boa parte do tempo, um trabalho ingrato em que voluntários participam e em que raramente as coisas são vistas para além de um pequeno grupo de pessoas.

Torvalds foi o responsável pela supervisão de diversas atualizações do kernel do Linux e acabou ganhando uma má reputação por agredir desenvolvedores em comentários e trocas de e-mails. Com base em sua última mensagem para a comunidade, parece que alguém o avisou que o seu comportamento precisa mudar.

“Meus ataques impertinentes em e-mails não foram profissionais e desnecessários”, escreveu Torvalds. Ele disse que foi confrontado por diversos membros da comunidade do Linux neste semana e que se arrependeu de seu comportamento por ter magoado algumas pessoas e por possivelmente ter afastado pessoas do desenvolvimento do kernel. Ele disse que vai “tirar uma folga e procurar ajuda para entender as emoções das pessoas e responder de forma adequada”.

Pela carta, não fica claro se um incidente específico de abuso verbal acabou levando a essa reflexão ou se a situação chegando a um ponto insustentável. Em julho, a desenvolvedora Sage Sharp alegou que Torvalds tinha um comportamento inapropriado em uma série de trocas de mensagens na lista de emails utilizadas pelos principais desenvolvedores que contribuem com o Linux.

Sharp trabalha como engenheira de software na Intel e tem contribuído com o Linux há anos. Ela criticou Torvalds especificamente pelo tratamento com o chefe do kernel do Linux, Greg Kroah-Hartman. Torvalds disse que Kroah-Hartman era um “gigante esquisitão” e apontou que contribuidores faziam o que queriam porque Kroah-Hartman “parece facilitar ser um capacho”.

Sharp também publicou em seu blog pessoal alguns incidentes em que o líder da comunidade repreendeu desenvolvedores escrevendo coisas como: “Mauro, CALA A PORRA DA BOCA!” e “Rafael, por favor, nunca *mais* escreva essa merda de novo“.

“Não é legal, *porra*”, escreveu Sharp. “Violência, seja intimidação física, ameaças verbais ou abuso verbal não é aceitável. Se mantenha profissional na lista de e-mails”.

Torvalds disse que, durante sua ausência, Kroah-Hartman assumirá suas funções.

O estilo combativo de Torvalds é, às vezes, admirado por desenvolvedores. Principalmente quando eles acreditam que o líder está enfrentando poderosos para estabelecer padrões mais elevados e mais segurança para a computação. Quando Torvalds foi alvo de críticas de profissionais de cibersegurança e de defensores do código aberto, a resposta não foi gentil e isso acabou incomodando algumas pessoas na comunidade do Linux. Mas acima de tudo, o afastamento tem a ver com o comportamento interno e tratamento com os voluntários. “Eu não deveria ter que pedir por um comportamento profissional nas listas de discussão”, insistiu Sharp. “O comportamento profissional deve ser o padrão”.

Em sua carta, Torvalds não fala especificamente sobre o seu tratamento com as pessoas. Ele aborda o fato de que “ferrou com [sua] agenda” quando planejou uma viagem coma a família na mesma data do Maintainer Summit, no qual os principais desenvolvedores do Linux se reunem para discutir o futuro do sistema. Ele admitiu que no fundo só queria deixar de ir ao encontro depois de duas décadas aparecendo por lá sem falta, mas acabou remarcando o evento quando ficou claro que seria inaceitável.

Torvalds parece estar convencido de que essas não serão férias permanentes e comparou esse recesso com o momento em que o debate interno fez com que ele se afastasse por um tempo e desenvolvesse o Git, o sistema de código aberto que é usado principalmente para rastrear alterações no código-fonte.

“Talvez eu consiga colocar um filtro no e-mail, para quando eu enviar mensagens com palavrões, elas simplesmente não cheguem em outras caixas de entrada”, disse. A comunidade provavelmente deve preferir que ele simplesmente descubra como ser uma pessoa melhor, sem a necessidade de intervenção de uma máquina.

[Linus Torvalds]

Captura de tela: aaltouniversityace