Aquele estereótipo de artistas que usam drogas para expandir a mente e se sentirem mais criativos ganhou um apoio científico. Pesquisadores da Universidade de Kaiserslautern estudaram os efeitos do LSD na linguagem e descobriram que a droga tem alguns efeitos interessantes.

• Como duas plantas se combinam para formar a poderosa droga ayahuasca
• Cientistas encontram novos indícios do porquê a cocaína é tão viciante

O estudo – publicado na Language, Cognition and Neuroscience – é o primeiro que observa os efeitos do LSD (dietilamida do ácido lisérgico) na linguagem em mais de 50 anos, de acordo com um comunicado – embora não possamos confirmar isso.

O estudo foi feito com dez participantes, que tinham que dar nome aos objetos mostrados em algumas fotos, o mais rápido possível. Em uma semana eles completaram a tarefa depois de tomarem placebo e na outra receberam uma dose de LSD.

“Os resultados mostraram que o LSD não afeta o tempo de reação, mas as pessoas sob o efeito da droga cometiam mais erros,” disse o líder do estudo, Neiloufar Family.

Os participantes sob o efeito do LSD erravam o nome dos objetos, mas estabeleciam algumas conexões corretas. Por exemplo, ao pedir para que identificassem a foto de um carro, eles diriam “ônibus” ou “trem” com mais frequência. Em outros casos, eles confundiam “luvas” com “mãos”. Isso sugere que o LSD tem impacto nas conexões semânticas e na maneira que fazemos conexões entre conceitos e palavras.

É importante dizer que esse é um estudo piloto, o primeiro do tipo. Vários fatores como a dosagem e o grupo de controle limitado podem distorcer alguns resultados.

“Este é um estudo piloto,” escreveram os pesquisadores. “O intuito principal dele foi determinar uma dose apropriada do LSD para um estudo de neuroimagem posterior.”

Entretanto, a pesquisa acabou encontrando algumas evidências interessantes sobre como o LSD pode afetar nossa criatividade e como a droga pode ser usada para tratar doenças mentais, como a depressão. A hipótese é de que o LSD possa ajudar as pessoas associar conceitos que elas não considerariam normalmente.

“Os efeitos do LSD na linguagem pode resultar numa cascata de associações que permitiriam um acesso mais rápido a conceitos distantes que estão guardados na mente” disse Family.

A droga já é usada em certo grau para aumentar a produtividade e criatividade, especialmente no Vale do Silício. De acordo com uma reportagem da Rolling Stone, psicodélicos – tomados em pequenas doses – podem dar às pessoas uma “energia extra” e torná-las mais “inovadoras”. Uma microdose de LSD tem cerca de 10 microgramas e os participantes do estudo tomaram algo entre 40 e 80 microgramas.

[Science Daily]

Foto do topo: Psychonaught/Wikipedia.