De acordo com decisão da Agência Nacional de Aviação Civil (Anac), se o seu vôo atrasar uma hora, você tem direito a acessar a internet de graça no aeroporto. A norma mostra que ler o Giz ou responder e-mail para o chefe (nesta ordem) são agora necessidades básicas.

 Outra mudança nas regras obriga as companhias a dar assistência material aos clientes em um prazo mais curto. Antes, somente após quatro horas de atraso as empresas eram obrigadas a fornecer comunicação, alimentação e hospedagem aos passageiros. Com a resolução, o acesso a comunicação (telefone e internet) deve ser providenciado em uma hora. A alimentação deverá ser oferecida em caso de voos com atrasos de duas horas. Somente a questão da hospedagem continua com o prazo de quatro horas. 

"Acessar a Internet" pode ser um monte de coisa. Eles podem te dar um vale pra uma lan-house, uma senha de Wi-Fi para você se livrar do monopólio da Vex ou um tempinho naquelas estações com computadores velhos e mouse-bolinha, tipo as estações da McDonald’s. Seja como for, já é alguma coisa. As empresas têm prazo de 90 dias para se adequar à norma.

Legal a iniciativa e tal, mas a gente podia ir logo pra uma coisa mais radical, prometida pela Infraero em 2008: Wi-Fi gratuito nos aeroportos. [G1]