Se você está esperando para comprar um telefone esperto, segure ao impulso só mais um pouquinho e considere as opções rodando Android. Ontem a Samsung e HTC deram datas para a chegada de, respectivamente, Galaxy e Magic. A TIM terá exclusividade num primeiro momento com o celular da Samsung – ainda este mês, anunciado por R$ 1.799, pré-pago. O Magic chega na 2ª semana de outubro, sem preço definido. Logo depois, até novembro, aparecem os smartphones com a plataforma (originalmente) do Google da Huawei e a Motorola. Conversei pessoalmente com o HTC Magic (eu converso com celulares) e saí bastante impressionado. O Android é de fato uma plataforma muito bacana.

Veja a comparação que o Zumo fez entre os dois primeiros robozinhos do Brasil.

Outro bônus é que os dois são relativamente pequenos e finos. Ambos tem bluetooth, 3G, Wi-Fi; o da Samsung ganha na tela de Amoled e no espaço para headphone 3.5mm, não presente no telefone da HTC. Mas tentem ao menos por uma vez – especialmente detratores do iPhone –  deixar de lado um pouco as especificações, bacanas mas nada de muito diferente do que tem por aí. O que importa aqui: a tela é capacitiva (segundo dois donos do iPhone ontem na coletiva da HTC, melhor que a da Apple), o sistema operacional é totalmente customizável, rápido e lindo pros olhos.

No tempo que brinquei com HTC Magic ontem funcionou tudo direitinho. Os programas entram rápido, você não precisa de muito esforço para mudar de tela ou pressionar um ícone. A integração com Gmail, Google Maps e Picasa é, como era de se esperar, ótima, e o "Android marketplace", a importantíssima loja de aplicativos, já está em português e tem uma infinidade de programas gratuitos – os pagos dependerão de acordo com as operadoras. Baixei um joguinho aleatório. De clicar nele até rodá-lo passaram-se uns 40 segundos. Tudo rodando no background (ele é multitarefa).

Não consegui me dar tão bem com o teclado virtual, mas como no caso do 5800, é uma questão de costume. A grande vantagem é que ele não ocupa toda a tela, e pode ser "chamado" a qualquer momento – você não sai do browser para digitar um simples nome de login, por exemplo. A câmera é bem fraquinha e o browser bastante bom. Preciso de mais tempo com a plataforma, mas no geral ela tem bastante potencial, especialmente porque dá para criar perfis, mexer todos os ícones de lugar e tudo o mais.

O sistema Android foi anunciada com muito oba-oba no fim do ano passado. Era legal, mas num telefone meio feio como o G1, não chegou a conquistar o mundo. Os desenvolvedores continuaram trabalhando para melhorar o sistema e mais recentemente outras empresas decidiram fabricar aparelhos com o SO. O Android foi feito com o touchscreen pensado desde sua origem, o que torna a experiência de navegação muito mais natural que no Symbian ou Windows Mobile. Teremos esses telefones nas mãos em breve e daremos mais detalhes. Mas de cara posso aconselhar os interessados em smartphones, como disse lá em cima, a olhar o robozinho com muito carinho. Ele é tão simpático!

Samsung Galaxy

HTC Magic