O McDonald’s vai recomendar itens do cardápio de acordo com as suas preferências. Quando você passar no drive-thru, será como se estivesse no site da Amazon, navegando por itens e recebendo recomendações que “você provavelmente também vai gostar”. Como? Usando dados de consumo dos clientes e dados de contexto.

A companhia anunciou no começo desta semana a aquisição da Dynamic Yield, uma empresa de tecnologia especializada em recomendações a partir de machine learning. Os algoritmos da startup reunem dados e tendências de consumo e oferece recomendações personalizadas, como as que vemos em diversas lojas virtuais.

O sistema empregado no McDonald’s funcionará inicialmente no drive-thru, e as estações de atendimento irão mostrar sugestões de acordo com o clima, horário do pedido e itens de menu que sejam “tendência”. Quando um cliente passar pela rede de fast food em um dia quente, é provável que sugiram que você compre um smooth ou um sorvete, por exemplo.

Uma vez que o pedido é iniciado, o sistema leva em consideração os itens já selecionados para fazer novas recomendações:

Painel mostra sugestões de itens a serem adicionados no pedido do McDonald's

O McDonald’s já testou o sistema em diversas unidades dos Estados Unidos em 2018. O plano é empregar o software por todo o país em 2019 e, em seguida, exportá-lo para os demais mercados. A companhia também pretende oferecer a tecnologia nos quiosques de autoatendimento e no aplicativo para smartphone.

O valor da aquisição da Dynamic Yield não foi revelada, mas o TechCrunch afirma que um fonte próxima à negociação revelou que o acordo foi de mais de US$ 300 milhões. É a maior aquisição do McDonald’s em 20 anos.

A Dynamic Yield ainda irá operar como uma empresa independente e tem liberdade para atender outros clientes.

[TechCrunch]