Os testes de DNA para consumidores já existem há um tempo em outros países, sendo que alguns deles já são utilizados inclusive para detectar o risco de câncer em um indivíduo. Agora, a empresa Mendelics está lançando o meuDNA, um kit 100% brasileiro para teste genético.

Com o preço promocional de Black Friday, dá para comprar o kit pelo site por R$ 159 até 29 de novembro — o preço regular é R$ 399. Depois, é só esperar receber sua caixa com um cotonete e um pequeno tubo para realizar a coleta na parte interna da bochecha e enviar a amostra para a Mendelics. Segundo o site, o relatório com os resultados é enviado em aproximadamente 6 semanas, revelando a origem genética da sua família de 5 a 8 gerações atrás.

Por enquanto, o objetivo do teste é mostrar “a origem geográfica dos seus antepassados” e ajudar você a “entender melhor a história da sua própria família”, mas a empresa afirma que, no futuro, a ideia é que o kit possa fornecer uma análise genética completa do DNA, detectando a predisposição a doenças como câncer, diabetes e colesterol alto, além de indicar os medicamentos mais adequados de acordo com o mapa genético de cada pessoa. Segundo comunicado da Mendelics, eles também esperam que futuramente o teste possa indicar o potencial risco de um casal ter um filho portador de alguma doença genética.

De acordo com a empresa, essas análises são resultado de um trabalho já feito em seus laboratórios de sequenciamentos de DNA e a utilização de um programa de inteligência artificial, desenvolvido pela Mendelics, chamado Abracadabra.

É bom saber que agora temos uma opção brasileira (e relativamente mais acessível) para realizar os testes de DNA. Mesmo assim, vale lembrar que esses exames não são 100% precisos e representam mais uma oportunidade de ter seus dados expostos — no caso, suas informações genéticas, o que pode ser ainda mais preocupante. O site meuDNA afirma que “todas as suas informações são sigilosas, protegidas pelo meuDNA e não são compartilhadas”, mas casos internacionais já mostraram que isso nem sempre é mantido quando envolve alguma força policial, por exemplo.