Em outubro, foi anunciada oficialmente a Microsoft Band: uma pulseira que recebe notificações e acompanha suas atividades físicas com dez sensores. Ela recebeu uma grande atualização, trazendo recursos para quem anda de bicicleta e um teclado para responder mensagens direto do seu pulso.

>>> [Hands-on] Microsoft Band: uma pulseira ambiciosa e útil

Antes de tudo, vamos relembrar os detalhes da Microsoft Band: ela mede sua frequência cardíaca de forma contínua; tem um sensor de ultravioleta para medir sua exposição ao sol; um sensor de resposta galvânica da pele, para medir estresse; mais GPS embutido e outros sensores.

Além disso, ela recebe notificações vindas do seu smartphone, incluindo e-mails, ligações, respostas do Twitter, avisos do Facebook, entre outros. A interface traz pequenos blocos dinâmicos, assim como no Windows Phone, mas ela é compatível com iOS e Android também. Confira nosso hands-on aqui.

Microsoft Band

Bicicleta

Paul Thurrott explica que a Microsoft Band ganhou um bloco dedicado para ciclismo. Toque nele e, ao andar de bicicleta, a pulseira monitora sua frequência cardíaca, mede elevação, distância percorrida, calorias queimadas e pode, opcionalmente, mapear seu percurso usando o GPS embutido, para você o compartilhar com amigos.

Ela também mede quanto tempo você levará para se recuperar da atividade física, através de dados como seu peso corporal, batimentos cardíacos e outros. E há cinco novos exercícios guiados feitos especificamente para os ciclistas, incluindo séries de velocidade, rotinas para suar, entre outros. A Microsoft Band já oferecia exercícios pré-programados para corridas – ela procura ser um personal trainer de pulso.

Digitando na telinha

Mas se você for preguiçoso como eu, tudo bem: a pulseira também serve para receber notificações, e ganhou algumas novidades nesse sentido. Uma delas é a “leitura rápida”, que exibe mensagens de texto e e-mails uma palavra por vez – isso é necessário devido ao tamanho da tela.

Além disso, a Microsoft Band agora permite digitar na touchscreen de 1,4 polegadas. Matt Barlow, gerente-geral de novos produtos na Microsoft, diz a Thurrott que “a precisão é surpreendente, você pode digitar muito rápido apenas tocando”. Esta é uma demonstração do Windows Central:

Parece absurdo, mas isto usa a tecnologia WordFlow para maior precisão, e por isso funciona apenas se você usar um Windows Phone. Caso o recurso se torne popular, a empresa planeja acrescentar suporte a Android e iOS no futuro. Barlow lembra que “isso é apenas uma opção, o usuário pode simplesmente ignorar se não quiser”.

Vale lembrar que, caso você use um Windows Phone, pode emitir comandos de voz para a Cortana: a Band tem um microfone para que você possa ditar mensagens, tomar notas e configurar alarmes.

Microsoft Health

A Microsoft Band ainda é um produto experimental. Na verdade, ela teve um lançamento limitado em fins de 2014, sendo vendida a US$ 200 até os estoques acabarem. Em vez de começar grande em uma categoria ainda incipiente, a empresa resolveu ser mais cautelosa, adicionando recursos aos poucos.

Por exemplo, esta semana o Microsoft Health – que armazena os dados coletados pela Band – enfim ganhou um portal na web; até então, você só podia acessá-lo através de um app para iOS, Android ou Windows Phone. Isso permite analisar tendências ao longo de períodos maiores de tempo, por exemplo.

Microsoft Health na web

O Health espera transformar seus dados de saúde em insights que você possa usar, e ganhou uma atualização nesse sentido. Por exemplo, você poderá ver quantas calorias queima durante o exercício e durante o sono. “Se a maioria de suas calorias queimadas vêm do sono, talvez você não esteja se exercitando o bastante”, diz Barlow.

A plataforma também vai exibir quanto tempo, em média, você leva para adormecer, e quanto tempo leva para acordar, mais a diferença nesse comportamento em dias úteis e fins de semana, para que você possa se planejar melhor.

E há mais por vir

Este é apenas o começo: a Microsoft lançou uma prévia do SDK para desenvolvedores usarem os sensores e recursos da Band. Ela já tem suporte a RunKeeper e myfitnesspal, e esta semana passou a funcionar também com o Map My Fitness – para corrida e caminhada – e Microsoft HealthVault, serviço lançado em 2007 que permite manter seus registros de saúde em um só lugar.

Barlow diz que “o nosso objetivo a longo prazo é que você pode usar qualquer dispositivo com o nosso software… somos uma plataforma aberta”. Ele também diz que está em negociações com parceiros de hardware, talvez para lançar pulseiras compatíveis com a plataforma Health, trazendo mais concorrentes para o Android Wear e Apple Watch.

Em comunicado, a Microsoft diz que a Band está disponível em lojas físicas da empresa nos EUA; ela esgotou na loja online. [Paul ThurrottWindows CentralCnet]