A versão web do Microsoft Word acaba de ganhar um recurso extremamente útil: a transcrição. Claro que existem alternativas gratuitas por aí, como o Google Docs e o aplicativo Otter.ai, que transcrevem as palavras usando voz, da mesma maneira do ditado do Word. Contudo, o grande diferencial da ferramenta online da Microsoft é que você pode carregar arquivos de áudio inteiros e ainda fazer transcrições ao vivo, mesclando o melhor do que Docs e Otter podem oferecer.

Assim como acontece no Google Docs, o ditado no Word transcreve tudo o que você diz no microfone diretamente no documento. Ambos os programas são quase sempre bem precisos, mas às vezes dão uma engasgada ao processar muitas palavras de uma vez, podendo pular uma ou duas frases, ou errar algumas sequências. A mesma coisa acontece com o Otter, especialmente se houver muito ruído no ambiente.

A transcrição no Word não é imune a erros, mas à primeira vista parece ser mais preciso do que o Google Docs, Otter e até mesmo a função de ditado (Dictate) do Word para desktop. Se você estiver em uma gravação ao vivo, por exemplo, a ferramenta enviará o arquivo de áudio ao OneDrive para processamento, e em seguida colocá-lo de volta na barra lateral do Word – já são inclusas marcações para você acrescentar data/hora, nomes e outros carimbos. A partir daí, você pode importar essa transcrição para o próprio documento do Word, com a possibilidade de ouvir e editar qualquer parte da transcrição que o software tenha interpretado errado.

Recurso de transcrição no Word web. Crédito: Microsoft

É possível transcrever áudios inteiros e adicionar marcações em vários trechos. Crédito: Microsoft

Estes mesmos recursos são encontrados no Otter, mas ele não transcreve arquivos de áudio importados no aplicativo. Já no Word web, a transcrição suporta os formatos .mp3, .wav, m4a e .mp4, o que deve ser de grande utilidade para transcrever podcasts ou entrevistas mais longas. Dependendo da duração do áudio, o tempo de processamento pode demorar um pouco. Eu mesma tentei transcrever um arquivo de 60 minutos (30 MB) e demorou cerca de uma hora, e isso mesmo tendo uma conexão de internet rápida.

Você ainda pode armazenar apenas uma transcrição por documento. Ao criar uma nova transcrição, o arquivo atual é excluído, mas se você transferi-lo para dentro do documento do Word antes de criar uma transcrição do zero, o texto ainda será mantido. Por esse motivo, a solução mais prática é mandar um arquivo já gravado em vez de transcrever o ditado em tempo real.

Embora o novo recurso de transcrição do Word esteja bem à frente de seus rivais no quesito eficiência, há uma desvantagem: para utilizar o editor de textos na web, é necessário ter uma assinatura da suíte de aplicativos Microsoft 365. Lembrando que a função ainda não foi disponibilizada para o Word desktop. O Gizmodo entrou em contato com a companhia para saber quando, se for o caso, o recurso de transcrição será lançado para essa versão do programa, mas não obtivemos resposta.

Além disso, a transcrição no Word só tem o idioma inglês no momento – para efeito de comparação, o Dictate suporta vários idiomas -, mas a Microsoft afirma trabalhar na inclusão de mais línguas. Até então, a transcrição no Word web funciona nos navegadores Edge e Google Chrome, com limite de gravações de até cinco horas por mês e 200 MB por arquivo. No final deste ano, o Office para dispositivos móveis ganhará a função, e já prevejo que ela poderá substituir facilmente o Docs e o Otter como meu aplicativo favorito de transcrição.