Colorado é o lar da Caverna de Enxofre, que é exatamente o que o nome sugere: um grande e desagradável buraco que está cheio de um gás mortal e ácido. Nada deveria ter vida por lá. É basicamente o inferno na Terra. No entanto, cientistas descobriram aglomerados de minhocas limnodrilus sulphurensis no chão da caverna.

minhocas-gif



Para irem fundo e encontrarem estas criaturas impressionantes, foram usados os mesmos ventiladores gigantes que ajudam a dispersar o cheiro em esgotos — só que nesse caso, para dissipar o enxofre. Uma vez dentro da caverna, os cientistas encontraram um pequeno ecossistema nojento, que também consistia em snottites — uma espécie de estalactite de bactérias unicelulares pegajosas. Eles acreditam que as minhocas crescem juntas e se alimentam de bactérias que nascem ou escorrem pelo chão da caverna.

>>> A forma como enguias elétricas atacam suas presas é mais legal do que você imagina
>>> As aves de Chernobil estão conseguindo se adaptar à radiação

David Steinmann, um pesquisador associado ao museu de Natureza e Ciência de Denver, acredita que pode haver potenciais benefícios médicos ao estudar essas minhocas, apesar de sua resistência ao enxofre, um componente que chega a ser inclusive mortal para humanos. Especificamente, a cor vermelha brilhante de seu corpo vem de uma habilidade sanguínea de limitar muito bem o oxigênio, o que poderia ser interessante para entender como os humanos poderiam explorar ambientes com pouco oxigênio.

[National Geographic]