Não olhe. O Monte Fuji está pelado. O famoso vulcão geralmente é conhecido por ter uma camada brilhante de neve branca do outono até a primavera, que está praticamente ausente neste ano.

A montanha está em sua temporada de neve mais leve, segundo registros de satélite. Os primeiros flocos da temporada pousaram em 28 de setembro de 2020, cobrindo o topo da montanha com uma leve camada que derreteu rapidamente, deixando a montanha sem nenhuma cobertura. Logo depois, nevou novamente no final de dezembro, quando Fuji recebeu outra camada de neve.

Contudo, de acordo com o Earth Observatory (Observatório da Terra) da NASA, “o tempo ainda mais frio de janeiro não garantiu que a camada de neve duraria”. A maior parte desapareceu em poucos dias devido às temperaturas acima de zero e ao vento, que acabou com a cobertura. Imagens chocantes feitas pelo satélite Landsat-8 mostram o quão estranho é este ano se comparado ao normal.

Um fenômeno La Niña se formou no Pacífico tropical oriental na segunda metade de 2020. O padrão climático é marcado por águas mais frias do que o normal naquela região, cujos efeitos se propagam pela atmosfera. O Japão costuma ser mais frio do que o normal durante os anos de La Niña, uma condição essencial para nevar. Fortes nevascas dominaram a costa oeste do Japão, mas o Monte Fuji fica no leste do Japão, que não foi muito atingido. Uma análise utilizando o satélite Terra da NASA mostra que a cobertura de neve da montanha em dezembro foi a mais baixa em 20 anos de conservação dos registros.

Mas o La Niña não é o único fator que pode afetar o clima do Japão. Nem tudo é culpa deste ano esquisito. O pico mais alto do Japão está tendendo para condições climáticas menos previsíveis em geral. Em 2019, pela primeira vez, não havia nevado até 23 de outubro, cerca de um mês depois do que comumente acontece. Em um estudo recente, cientistas japoneses descobriram que a linha de árvores subiu os flancos da montanha em cerca de 30,5 metros nas últimas quatro décadas.

Isso provavelmente foi relacionado a um aumento nas temperaturas do verão no pico de Fuji em 2 graus Celsius. Portanto, o futuro não parece bom para a neve do Fuji, nem a previsão para o resto deste ano. A Agência Meteorológica do Japão está prevendo que, embora as temperaturas mais frias do que o normal sejam prováveis ​​em grande parte do país até março, o padrão de queda de neve que vimos até agora irá persistir.