A Microsoft anunciou que mais de 14 milhões de dispositivos já estão rodando o Windows 10, lançado esta semana como uma atualização gratuita. No entanto, há algo no sistema que irritou a criadora do Firefox.

>>> Windows 10: perguntas e respostas sobre a atualização

Chris Beard, CEO da Mozilla, escreveu uma carta aberta a Satya Nadella, CEO da Microsoft, reclamando que agora é mais difícil alterar o navegador padrão do Windows 10.

Durante o processo de instalação, o sistema configura o novo Microsoft Edge como seu navegador padrão – a menos que você clique no discreto texto “Permitir que eu escolha meus aplicativos padrão”.

Windows 10 - instalacao e padroes

E, como dissemos antes, mesmo que você escolha outro navegador, o Windows 10 vai perguntar depois se você realmente quer mantê-lo como padrão:

Windows 10 - dia dois (2)

Se você deixar o Edge como o principal, o Firefox vai perguntar se você não quer usá-lo como padrão. Ao clicar em “Use o Firefox como meu navegador padrão”, você é levado às configurações do Windows 10, onde é preciso rolar até o fim da lista, clicar em “Microsoft Edge” e depois em “Firefox”.

No Windows 8 e anteriores, bastava clicar no botão “Use o Firefox como meu navegador padrão” e pronto.

Parece que a Microsoft está realmente insistindo que seus usuários migrem para o Edge. No entanto, é curioso que o Google – que faz o navegador mais usado – não tenha reclamado sobre o assunto.

Afinal, o Chrome é igualmente afetado no Windows 10: por exemplo, quando você o instala pela primeira vez, é preciso clicar em “Definir como padrão” e navegar pelas configurações.

Chrome e mudar padrao no Windows 10Chrome e mudar padrao no Windows 10 (2)

A única coisa que o Google fez foi publicar um vídeo ensinando como alterar o navegador padrão; a Opera fez o mesmo. Nada de carta aberta nem coisa do tipo.

Em maio, a Microsoft disse que mudou esse comportamento no Windows 10 para que “você mantenha o controle total de suas experiências padrão, enquanto reduz parte do ruído indesejado que vários prompts podem causar”.

Beards, da Mozilla, explica na carta aberta que notou isso há alguns meses e entrou em contato com a Microsoft para pedir mudanças, mas não deu certo:

Quando vimos pela primeira vez a experiência do upgrade do Windows 10 que tira a escolha dos usuários, ignorando de fato suas preferências já existentes para o navegador da Web e outros aplicativos, entramos em contato com a sua equipe para discutirmos este assunto. Infelizmente, não houve nenhum resultado nem qualquer progresso significativo, por isso, o motivo desta carta.

Em comunicado, a Microsoft diz que talvez mude isso no futuro:

Nós projetamos o Windows 10 para fornecer uma experiência de atualização simples para os usuários e uma experiência coesa após o upgrade. Durante a atualização, os consumidores têm a opção de definir padrões, inclusive para o navegador web. Após a atualização, eles podem facilmente escolher o navegador padrão da sua escolha.

Tal como acontece com todos os aspectos do produto, nós projetamos o Windows 10 como um serviço; se nós aprendermos com a experiência do usuário que há maneiras de fazer melhorias, vamos fazê-las.

Nos últimos anos, o Firefox vem perdendo espaço para o Chrome. O gráfico abaixo, do StatCounter, mostra como o navegador da Mozilla caiu de 30% em 2011, para 20% em 2013, até chegar aos atuais 17,6% de presença em desktops. Será que o Microsoft Edge vai reduzir isso ainda mais? [Mozilla e The Verge]

StatCounter-browser-ww-monthly-201101-201506

Foto por Michele Ursino/Flickr