Em janeiro, a Microsoft confirmou que estava trabalhando em um novo navegador, que recebeu o codinome Project Spartan em referência ao jogo Halo. Isso era apenas provisório, e ele precisava de um nome definitivo, que foi anunciado hoje: Microsoft Edge.

Pesquisas feitas pela empresa sugeriam que um navegador com o nome “Microsoft” chamava mais a atenção dos usuários. E ele foi refeito do zero jogando fora tudo de ruim que havia no Internet Explorer, para criar uma engine de renderização chamada EdgeHTML – então o nome Microsoft Edge parece se encaixar muito bem.

Joe Belfiore, vice-presidente da Microsoft, explicou na conferência Build:

O nome se refere à ideia de estar nas fronteiras (edge) da criação e consumo. Refere-se à ideia de que os desenvolvedores estarão mais próximos dos recursos da web moderna.

O novo navegador virá com suporte a extensões, que podem ser portadas do Chrome ou Firefox. O desenvolvedor precisa modificá-la um pouco, mas ela funciona como em outros navegadores, exibindo um botão na barra superior.

Microsoft Edge - extensoes

Também há uma nova aba com sites que você visitou, notícias recentes e até recomendações de apps para você instalar.

Microsoft Edge - nova aba

E como vimos antes, o Edge possui três diferenciais: um modo de anotações, que permite desenhar em cima da página e guardar a imagem no OneDrive; modo de leitura, que reformata artigos da web e salva artigos para ler depois; e a integração com a Cortana, para quem você pode fazer perguntas.

O Internet Explorer não vai morrer de vez: ele continuará presente no Windows 10, mas apenas por questões de compatibilidade.