Segundo relato da Agência Estado:

“A medida melhorará o perfil das exportações brasileiras, ainda fortemente calcadas em produtos primários”, afirmou o relator, senador Eduardo Braga (PMDB-AM). Ele citou dados do Ministério da Ciência e Tecnologia de que os bens de tecnologia da informação e comunicação (TIC) apresentaram déficit na balança comercial de US$ 18,9 bilhões em 2010. Com a redução dos dois tributos, a estimativa é de que o preço final dos tablets caia em 31%. O tablet é o sexto produto a receber a isenção fiscal do Programa de Inclusão Digital, que já favorecia os computadores de mesa, notebooks, teclados, mouses e modems.

O limite de tamanho estabelecido pela MP é de 600cm². Já o mínimo é de 140cm², que inclui os tablets de 7 polegadas, mas exclui aparelhos como o Galaxy Note, com suas 5,3 polegadas — mas ainda não ficou claro se aparelhos com capacidade de telefonia, como o Galaxy Tab original, entram no pacote de exoneração.

Menos 31% no preço dos tablets será o bastante para você comprar sua primeira tábua? E será que até o Natal teremos o prometido iPad brasileiro nas lojas? Próximos capítulos em breve. [Link/Agência Estado]