As mudanças climáticas estão influenciando o comportamento de animais pelo mundo. Um estudo divulgado na revista científica PNAS sugere que os mabecos (Lycaon pictus), também conhecidos como cães-selvagens-africanos, atrasaram seu período reprodutivo nas últimas três décadas.

Pesquisadores da Universidade de Washington em Seattle, nos EUA, analisaram dados de 60 matilhas de Botsuana, na África. As informações, que incluíam as datas em que os animais tiveram filhotes a cada ano, abrangiam de 1989 até 2020. 

Os cientistas também desenvolveram modelos climáticos com base em informações fornecidas por uma estação meteorológica próxima. Dessa forma, conseguiram acompanhar como a temperatura da região mudou ao longo dos anos.

Os cães-selvagens-africanos preferem se reproduzir nas épocas mais frias do ano. O motivo não é claro, mas os pesquisadores sugerem que tenha relação com a caça. Logo que o animal nasce, ele fica sendo cuidado por sua mãe dentro de uma toca durante três meses – um ambiente seguro e, acima de tudo, quentinho. 

Mas as mudanças climáticas estão fazendo com que os mamíferos mudem esse comportamento. Na década de 90, os nascimentos ocorriam por volta do dia 20 de maio. Nos últimos anos, eles passaram a acontecer perto do dia 12 de junho, uma mudança média de sete dias por década. 

No período do estudo, foi observado um aumento da temperatura de 3,8ºC. Os cientistas confirmaram a relação entre a mudança climática e a alteração comportamental do animal. Por enquanto, os cães-selvagens-africanos estão se adaptando ao novo cenário, mas o ritmo acelerado do aquecimento global pode fazer com que os mamíferos não consigam sumir do mapa.