Uma mulher comeu wasabi em um casamento – aparentemente confundido com abacate – e acabou indo parar no pronto-socorro com uma estranha condição médica chamada síndrome do coração partido, de acordo com um novo estudo de caso.

Em um artigo publicado este mês na revista BMJ Reports, os médicos detalharam o incidente incomum, que ocorreu em Israel. Segundo os médicos, a mulher de 60 anos foi convidada para um casamento, onde “comeu uma grande quantidade de wasabi, pensando que fosse abacate”. Ela quase imediatamente começou a sentir dor no peito, mas decidiu aguentar firme.

“Depois que ela comeu o wasabi, ela sentiu uma pressão repentina no peito irradiando para os braços, que durou [algumas] horas”, escreveram os médicos. “Ela decidiu não deixar o casamento e a dor começou a diminuir”.

No dia seguinte, ainda se sentindo fraca e com mal-estar, a mulher visitou um pronto-socorro local. Embora ela não estivesse correndo nenhum risco considerado imediatamente fatal, como um ataque cardíaco, os médicos acabaram diagnosticando-a com cardiomiopatia de Takotsubo. A condição é caracterizada por um súbito enfraquecimento do ventrículo esquerdo do coração, o que faz com que ele inche, resultando em uma forma que se assemelha a uma armadilha de polvo (no Japão, essa armadilha é chamada de takotsubo, daí o nome). Esse enfraquecimento também causa dor no peito que pode ser uma reminiscência de um ataque cardíaco.

O Takotsubo geralmente é desencadeado por uma forte dose de estresse, que pode incluir o que você sente quando está com medo ou perde um ente querido – e é desse último caso que o nome síndrome do coração partido vem. Mas, nesse incidente em questão, foi provavelmente o wasabi que causou os sintomas da mulher. Por que culpar o wasabi? Simplesmente não havia outros gatilhos em potencial que fizessem sentido, segundo os médicos. Este seria o primeiro caso de coração partido causado por wasabi já documentado.

Tem muita coisa que ainda não sabemos sobre o Takotsubo. As mulheres mais velhas, como a paciente deste caso, tendem a correr um risco maior por razões que não são totalmente claras (uma teoria é que a menopausa pode alterar a resposta do coração aos hormônios do estresse). Portanto, os médicos esperam que pesquisas futuras que estudem a condição possam levar em conta incidentes estranhos como esse.

Felizmente, embora as pessoas possam morrer de coração partido ou ter maior probabilidade de desenvolver problemas cardíacos no futuro, a condição normalmente não é fatal, e a maioria das pessoas se recupera bem sem tratamento especial. Dentro de um mês, os médicos escreveram, a mulher não apresentava nenhuma sequela do incidente.