Depois de encontrarem o queijo mais antigo do mundo e abrirem um sarcófago que acreditava-se estar amaldiçoado, arqueólogos fizeram mais uma descoberta interessante no Egito. Em um complexo de tumbas próximo às pirâmides de Userkaf, foram encontrados vários sarcófagos contendo múmias de gatos e escaravelhos.

• A origem da mumificação no Egito vem de muito antes da Era dos Faraós
• Pesquisadores já têm as primeiras informações do conteúdo do sarcófago “amaldiçoado” aberto no Egito

As três tumbas com felinos mumificados datam da Época Baixa do Antigo Egito, que compreende o período entre 664 a.C. e 332 a.C. Além das múmias, havia estátuas dos animais e uma estátua de bronze da deusa Bastet, que tem cabeça de gato. O complexo ainda conta com outras quatro tumbas mais antigas, da época do Império Antigo, que corresponde aos anos de 2686 a.C a 2181 a.C. — foi nessa época, inclusive, que a arte de construir pirâmides foi aperfeiçoada.

Como destaca a Science Alert, encontrar animais mumificados não chega a ser algo incomum para arqueólogos que trabalham no país. Estima-se que 70 milhões de bichos foram mumificados no Antigo Egito, como íbis (uma ave que parece um pelicano), crocodilos, cães e gatos, todos tidos como animais sagrados.

Mas as tumbas ainda reservavam uma surpresa: escaravelhos mumificados, armazenados em sarcófagos, com desenhos desse tipo de besouro inscritos na parte externa das urnas de calcário. É a primeira vez que múmias desse inseto são encontradas na necrópole de Mênfis.

E ainda tem mais coisa por aí. Segundo o Ministro de Antiguidades do Egito, Khaled El-Enany, essa é a primeira de três revelações que devem ser feitas até o fim de 2018. Espero que não confirmem a tal maldição do sarcófago.

[Science Alert]