A cota de malha era uma ferramenta essencial para guerreiros medievais que tentavam evitar uma morte rápida (ou lenta) pela espada. Mas engenheiros da NASA esperam que um material similar, com algumas vantagens modernas, possa ser tão útil quanto para naves e astronautas buscando sobreviver aos rigores do espaço sideral.

• Cientistas já estão planejando a próxima missão para Plutão
• Contemple o Telescópio Espacial James Webb em toda a sua glória

A maior melhora que a NASA fez nessa versão do século XXI da cota de malha, desenvolvida por um time liderado por Raul Polit Casillas, no Jet Propulsion Laboratory, em Pasadena, na Califórnia, é como ela é fabricada. Ao invés do ferreiro medieval gastar semanas cuidadosamente conectando pequenos anéis de metal, um por um, o material mostrado acima e abaixo é feito por uma impressora 3D, o que significa que pode ser produzido conforme necessário na estação espacial, ou em outros habitats fora da Terra, dependendo de onde viajarmos nas próximas décadas.

mwdmiqsdvpgcrq7vlqrb

Imagem: NASA

Mas a facilidade de fabricação não é a única razão para esse novo material poder um dia ser uma ferramenta essencial para a exploração espacial. Ambos os lados desse tecido metálico foram feitos para usos bem específicos e diferentes. O topo, que parece um mosaico de ladrilhos metálicos, é capaz de refletir luz e serve como uma forma passiva de lidar com o calor. O outro lado, que parece mais com a cota de malha tradicional, por sua vez, pode absorver o calor, servindo como isolante térmico.

Embora a essa altura ainda seja um experimento de laboratório, o material pode eventualmente ser usado em trajes espaciais, em habitats, em veículos ou naves para ajudá-los a se protegerem de perigos imprevistos, ou até mesmo ser colocado em solo alienígena para servir como um lugar seguro para uma nave pousar. Diferentemente dos ladrilhos cerâmicos usados nas naves que entram de volta à atmosfera terrestre, esse tecido flexível e forte feito em impressão 3D tem inúmeras aplicações, que é outro motivo de ele ser potencialmente valioso para futuras missões a outros planetas.

Quando os humanos eventualmente se encontrarem em um planeta alienígena, a milhões de quilômetros de distância da Terra e seus recursos naturais, precisaremos conseguir fabricar tudo de que necessitamos no local . Mas já que não teremos um suprimento ilimitado de materiais, o que construirmos longe de casa vai precisar oferecer o máximo de funcionalidade e reutilização possível. Cotas de malha podem soar como uma escolha estranha para um tecido futurista, mas, se a história for um bom guia, podem servir para diversos propósitos bem úteis.

[NASA via New Atlas]