NASA desvenda mistério das nuvens que desaparecem em Netuno

Nos últimos 30 anos, NASA tem estudado mudanças sazonais na cobertura de nuvens de Netuno. Agora, cientistas dizem ter encontrado um padrão
NASA desvenda mistério das nuvens que desaparecem em Netuno
Imagem: NASA/Divulgação

A NASA estuda Netuno há mais de 30 anos. Porém, mesmo após todo esse tempo, ainda permanece um mistério: o desaparecimento das nuvens do planeta. Agora, após décadas de observações, os astrônomos descobriram o que tem causado a mudança na cobertura de nuvens do gigante gasoso azulado.

Os cientistas apontaram que a mudança nas nuvens se deve ao ciclo solar de 11 anos, no qual o aumento e a diminuição dos campos magnéticos emaranhados do Sol impulsionam a atividade solar.

Os telescópios responsáveis pela coleta dos dados incluem o Telescópio Espacial Hubble, o Observatório W. M. Keck, localizado no Havaí, além do Observatório Lick, na Califórnia, nos EUA. As descobertas foram publicadas na revista científica Icarus.

Sequência de imagens do Telescópio Espacial Hubble registra o aumento e diminuição da quantidade de cobertura de nuvens em Netuno ao longo dos anos. Imagem: NASA/Divulgação

Descoberta surpreende

Os estudiosos da NASA ficaram surpresos com a descoberta, pois Netuno é o planeta mais distante do nosso Sistema Solar. Ele recebe, por exemplo, apenas 0,1% de intensidade de luz solar que chega até a Terra.

Atualmente, a cobertura de nuvens observada em Netuno é extremamente baixa, com exceção de algumas nuvens pairando sobre o Polo Sul do planeta.

Imagens mostram que a medida que a radiação solar aumenta, as nuvens também voltam a aparecer. Imagem: NASA/Divulgação

Uma equipe de astrônomos da Universidade da Califórnia em Berkeley, nos EUA, descobriu que a abundância de nuvens normalmente vistas nas latitudes médias do gigante gelado começou a desaparecer em 2019.

“Fiquei surpreso com a rapidez com que as nuvens desapareceram em Netuno”, disse Imke de Pater, professora e autora do estudo. “Basicamente, vimos a atividade da nuvem cair em alguns meses”, disse em um comunicado da NASA.

As imagens analisadas ao longo dos anos revelam um padrão entre as mudanças sazonais na cobertura de nuvens de Netuno e o ciclo solar. Dessa forma, quanto mais manchas solares, mais nuvens no planeta gigante.

Assine a newsletter do Gizmodo

Gabriel Andrade

Gabriel Andrade

Jornalista que cobre ciência, economia e tudo mais. Já passou por veículos como Poder360, Carta Capital e Yahoo.

fique por dentro
das novidades giz Inscreva-se agora para receber em primeira mão todas as notícias sobre tecnologia, ciência e cultura, reviews e comparativos exclusivos de produtos, além de descontos imperdíveis em ofertas exclusivas