Um foguete Antares foi lançado da Virgínia, nos Estados Unidos, antes do nascer do Sol nesta manhã, e está a caminho da Estação Espacial Internacional (EEI). Seus 3.350 quilos de carga incluem um experimento que vai resfriar átomos até cerca de zero absoluto — temperatura mais gelada do que o próprio vácuo do espaço.

• A última leva de imagens do telescópio Hubble é pura pornografia espacial
• Os pequenos satélites da NASA a caminho de Marte já enviaram seus primeiros sinais

O Cold Atom Laboratory (CAL) está pronto para criar condensados de Bose-Einstein a bordo da EEI. Mas o que é um condensado de Bose-Einstein? E por que fazer isso no espaço?

“Basicamente, isso vai nos permitir fazer tipos de coisas diferentes do que conseguiríamos fazer na Terra”, disse Gretchen Campbell, codiretora do Instituto Joint Quantum, da Universidade de Maryland, em entrevista ao Gizmodo.

Condensados de Bose-Einstein são coleções de certos átomos (como o rubídio, por exemplo) mantidos imóveis por lasers, que os resfria até temperaturas pouco acima do zero absoluto. Esses sistemas aumentam os efeitos impressionantes da mecânica quântica em escalas quase macroscópicas, facilitando o seu estudo. Cientistas já usaram condensados de Bose-Einstein para criar estados de matéria completamente novos, emaranhar quanticamente milhares de átomos e até mesmo modelar o Big Bang.

Mas como é o caso com a maioria das coleções quase macroscópica de átomos, os condensados de Bose-Einstein sentem os efeitos da gravidade. Isso significa que eles caem quando se desligam os lasers que os congelam na Terra. A bordo da EEI, onde existe apenas microgravidade, os cientistas podem fazer esses experimentos e observar os condensados de Bose-Einstein por mais tempo.

Já que esses sistemas aumentam os efeitos da mecânica quântica em maiores escalas, eles poderiam ser usados para se ter informações sobre sistemas não relacionados. Talvez o sistema possa fornecer um insight sobre a natureza da energia escura, a misteriosa força acelerando a expansão do universo que parece ser responsável por dois terços da energia do universo, de acordo com um fact sheet da NASA.

O foguete Antares deve chegar à Estação Espacial Internacional na terça-feira (22), segundo o Space.com. Além de reabastecer a estação espacial, ele também carrega consigo um experimento de crescimento de plantas e uns satélites cubesats, assim como outros equipamentos de pesquisa.

“Sempre que você tem novas capacidades, isso leva a físicas novas e empolgantes”, disse Campbell.

Imagem do topo: NASA