Durante uma coletiva de imprensa na última segunda-feira (22), Allen Chen, líder de entrada, descida e pouso do rover Perseverance, da Nasa, lançou um desafio: “Às vezes, deixamos mensagens em nossos trabalhos para outras pessoas encontrarem. Por isso, convidamos todos vocês a tentar e dar o seu melhor.” Pois detetives de internet conseguiram: o paraquedas do veículo trazia uma inscrição cifrada: “Dare Mighty Things”, ou “ouse coisas poderosas”, em tradução livre.

A frase estava codificada na sequência aparentemente aleatória de vermelho e branco do paraquedas que disparou e ajudou o veículo a descer até o solo do Planeta Vermelho. Na verdade, são três círculos concêntricos, cada um formando uma palavra. Em cada camada, o vermelho representa o número 1, e o branco, o número 0. Separando as listras do paraquedas em grupos de 10, temos códigos binários. Somando 64 a cada um desses códigos, temos as letras em ASCII para formar as palavras. Além disso, há um quarto círculo no paraquedas que forma as coordenadas do Laboratório de Propulsão a Jato da Nasa: 34°11’58” N 118°10’31” W.

Adam Steltzner, engenheiro-chefe da Perseverance, confirmou no Twitter a mensagem, que havia sido desvendada por usuários do Reddit:

A frase “Dare Mighty Things” não é exatamente uma surpresa: ela é praticamente um lema da equipe responsável pelo Perseverance, e está nas paredes do Laboratório de Propulsão a Jato.

A inspiração vem de um discurso de 1899 de Theodore Roosevelt, que viria a ser presidente dos EUA entre 1901 e 1909: “Muito melhor é ousar coisas poderosas, conquistar triunfos gloriosos, ainda que alternados com o fracasso, do que se colocar ao lado daqueles pobres espíritos que não gozam muito nem sofrem muito, porque vivem no crepúsculo cinzento que não conhece vitória nem derrota.”

Assine a newsletter do Gizmodo

Este não é o único easter egg da Perseverance. O rover também tem um “retrato de família” em sua carroceria, com desenhos dele e dos veículos anteriores que foram a marte.

Também não é a primeira vez que a Nasa coloca uma mensagem cifrada desse tipo em uma missão para Marte. Ao pousar no solo marciano em 2012, furos no corpo do rover Curiosity marcaram “JPL”, sigla do Laboratório de Propulsão a Jato, no chão do planeta em código morse — a marca não é definitiva e foi apagada pelos ventos e pelas tempestades de areia.

[The Verge, The Guardian]