A NASA anunciou na última sexta-feira (23) uma parceria com a empresa espacial de Elon Musk, a SpaceX, para o lançamento de uma viagem à lua Europa, em Júpiter. O contrato entre a agência espacial americana e a companhia está avaliado em US$ 178 milhões (R$ 921 milhões), e prevê o uso do foguete Falcon Heavy para ajudar no impulso da missão Clipper.

A missão Clipper tentará encontrar novos indícios de que a lua pode abrigar vida. Também será a primeira a investigar a fundo o satélite natural do maior planeta do Sistema Solar, principalmente com o uso de câmeras, espectrômetros e radares para mapear a crosta de gelo na superfície da lua Europa.

“Os principais objetivos da missão são produzir imagens de alta resolução da superfície de Europa, determinar sua composição, procurar sinais de atividade geológica recente ou em andamento, medir a espessura da camada de gelo da lua, procurar lagos subterrâneos e determinar a profundidade e salinidade de Oceano da Europa”, disse a NASA em comunicado oficial.

A princípio, a missão decolaria do Space Launch System (SLS), um foguete próprio da NASA. No entanto, devido a atrasos e custos excessivos, o projeto foi realocado para as mãos da SpaceX, que agora usará tecnologia própria — no caso, o foguete Falcon Heavy, que já completou missões comercias e governamentais desde seu voo de estreia em 2018. Além disso, o SLS foi realocado para o programa Artemis, que levará astronautas humanos de volta à Lua da Terra.

Assine a newsletter do Gizmodo

Estima-se que, ao permitir que a SpaceX faça o lançamento da missão à lua de Júpiter, agência espacial americana economize mais de US$ 1,5 bilhão. Vale lembrar que a NASA já tem outras parcerias com a SpaceX para utilizar os foguetes da companhia de Elon Musk. Uma delas, inclusive, está diretamente relacionada às missões da Artemis, embora esse contrato específico tenha sido suspenso por tempo indeterminado.

A previsão é que o lançamento da Europa Clipper ocorra em outubro de 2024 do Complexo 39A, no Centro Espacial Kennedy, localizado na Flórida, Estados Unidos.

[NASA, CNET]