O Netflix divulgou seus resultados do primeiro trimestre, e lançou também uma notícia inesperada: a mensalidade do serviço deve aumentar, em breve, no mundo inteiro.

Na carta aos investidores, o CEO Reed Hastings diz:

Nossa visão atual é a de fazer um aumento de US$ 1 ou US$ 2, dependendo do país, no final deste trimestre e apenas para novos membros. Membros existentes ficariam nos preços atuais (por exemplo, US$ 7,99 nos EUA) por um período de tempo generoso.

A justificativa é ter mais dinheiro para adquirir mais conteúdo, e assim melhorar o catálogo. Em abril do ano passado, quando a mensalidade do Netflix subiu de R$ 14,99 para R$ 16,90 no Brasil, o motivo foi semelhante.

Será que teremos um novo aumento por aqui? É possível. A assessoria do Netflix diz ao Gizmodo Brasil:

Ainda não sabemos mais detalhes. A única informação que temos é que o aumento será global, por isso há chances de que também possa acontecer no Brasil.

Vale lembrar que no ano passado, mesmo após o aumento no Brasil, o Netflix disse que “continuou a ver forte crescimento de novos membros”. Este ano, eles subiram os preços na Irlanda, e “viram impacto limitado na aquisição de novos membros”. Então não há muita coisa impedindo que o Netflix fique mais caro.

No primeiro trimestre, o Netflix conseguiu 4 milhões de novos assinantes e lucro de US$ 53 milhões. Para o futuro, além do provável aumento, teremos a segunda temporada de Hemlock Grove; mais séries animadas em parceria com a DreamWorks; a série Demolidor da Marvel; e Narcos, uma série de ação produzida por José Padilha – diretor de Tropa de Elite e do novo Robocop – sobre a queda do chefe do tráfico de drogas Pablo Escobar. [Netflix]