“Havia elementos que nós achamos muito bons, mas tivemos que deixar de lado para continuar em nosso alvo”, disse Shuhei Yoshida, um dos chefões da Sony para a a revista Edge. “Foi uma grande lição que aprendemos com o PS3. Não há razão para colocar tudo o que você quer dentro de um aparelho para fazer as contas depois”.

É comum que as empresas retirem alguns elementos no processo de pesquisa e desenvolvimento de algum gadget. A diferença com o PS3 é que a Sony começou a fazer isso quando o console já estava no mercado. Quando o PS3 foi anunciado, ele tinha uma porrada de habilidades que foram sendo removidas aos poucos para poder transformá-lo numa verdadeira fábrica de dinheiro.

No caso do NGP, Yoshida diz que a Sony já tinha o preço e o público-alvo em mente desde o início. “Nós precisamos vender algo que as pessoas possam comprar”, disse Yoshida, complementando ao dizer que a Sony “não pode vender o NGP pelo mesmo preço que o PSP”.

Se a Sony quer competir com o Nintendo 3DS – que não importa o que a Sony diga, é o concorrente direto – o preço médio nos EUA do NGP terá de ficar na casa dos U$250 e U$300. Quanto mais perto de U$250, melhor. Se for acima de U$300, esqueça.

News: Sony NGP features dropped to keep handheld affordable [CVG]