O Google Maps para iPhone finalmente foi lançado e já podemos esquecer que nos últimos três meses tivemos que usar aquele app desenvolvido pela Apple. E há muitos motivos para comemorar o novo app.

O Google Maps não é um lançamento de app qualquer: ele era o app mais esperado desde o lançamento do iOS 6 — isso explica por que ele já virou o app gratuito mais baixado da App Store em 7 horas. Ele é mais um capítulo na guerra dos mapas. E ele é também um grande tapa na cara da Apple e de seu novo serviço.

Mas o que o novo Google Maps para iPhone tem de bom? Ele não conta apenas com os recursos da versão que aparecia no iOS 5 e tem novas funções, além de uma interface nova. O Google desenvolveu o novo app do zero e, mesmo que muitos dos recursos também estejam na versão de Android, é um app completamente diferente – e melhor do que qualquer outro que você já usou.

Interface

O Google Maps está diferente do que você estava acostumado a usar, seja na versão antiga para iPhone ou na de Android. A interface é bem bonita e clean (lembra o novo Gmail do iOS e até do próprio app Google para iOS) com uma caixa de busca na parte superior da tela e, como não poderia deixar de ser, os mapas ocupando a maior parte dela. As fontes são bonitas, tudo é bem distribuído.

Na parte de baixo da tela tem uma pequena barra branca que o Google chamou de “Info Sheet”. Abra ela para encontrar mais informações sobre o local, além de encontrar opções como o Street View – uma novidade no app, que já aparecia no Android mas não estava disponível no iOS 5.

Ele tem um conceito de navegação horizontal. Deslize os dedos para os lados para encontrar informações sobre o trânsito, novas opções de rotas, lugares para visitar, ou então para ver as próximas indicações de onde você deve ir para chegar ao seu destino.

Os mapas agora são vetorizados o que faz com que eles carreguem mais rápido. O app ganhou em velocidade e consome menos do seu plano de dados – apenas vitórias.

Navegação curva a curva

Assim como os mapas da Apple fazem em alguns países, o novo Google Maps não apenas dá as indicações de como chegar a um lugar como também fala para onde você tem que ir — recurso que também está na versão de Android. É a navegação curva a curva, que tem a voz do Google Now e mostra em que parte da viagem você está e o tempo estimado para chegar.

A grande sacada é que ela não está disponível no Brasil no mapas da Apple. Já o Google não colocou tantas restrições e, como já tem navegação curva a curva por aqui no Android, colocou a funcionalidade no app para iOS. E isso não existia no iOS 5. Um novo app mostra como é bom alguns meses de desenvolvimento bruto.

Um detalhe bacana é que você não precisa manter o app aberto para usar a navegação curva a curva — ele usa as notificações locais do iOS para continuar falando o que você deve fazer.

Transporte público e rotas para pedestres

Outro recurso que já tem há um bom tempo no Android mas não aparecia no Apple Maps: informações de ônibus, metrô, trem e opções de transporte público em geral.

Isso significa que em apenas um app você pode saber qual trem precisa pegar, qual linha de ônibus é a ideal é qual é o melhor ponto para descer e chegar ao seu destino. Ele também avisa quão afetado seu trajeto será — num mundo ideal, você chegaria em 20 minutos, num mundo chamado São Paulo, esse roteiro demorará 50 minutos. Isso é muito importante e prático para aproximadamente todos os usuários que usam mapas.

Além disso, ele também dá indicações para pedestres, o que é bem útil para cidades grandes — nos mapas da Apple elas eram confusas e atrapalhavam mais do que ajudavam e, surpresa!, não existem ainda no Brasil.

O que falta?

Podemos imaginar o que deve ser incluído nas próximas grandes atualizações do app. Os mapas offline fazem falta. Você não pode baixar o mapa de uma região para visualizar sem precisar gastar mais do seu plano de dados — ao menos por enquanto. Além disso, os mapas internos e as rotas de bicicleta também não foram incluídas, mas devem aparecer nas próximas versões.

Pelo que vimos e usamos até então, só uma coisa impede o Google Maps para iOS ser considerado sem discussão o melhor app de mapas de todas as plataformas: a integração. Como a Apple obriga o usuário a usar seus apps padrões, clicar em um endereço abre o Apple Maps, e não uma opção de qual app abrir. Digitar o nome de um contato que tem endereço associado, algo que no Android funciona de forma incrível, também não funciona por falta de integração entre Contatos e apps de terceiros. Ou seja, mais do que nunca o iOS precisa liberar as amarras — ou a Apple fornece um app melhor.

Ele pode ter demorado um pouco, mas o Google Maps para iOS é uma obra-prima de mapas. Não só em conteúdo, mas também em beleza, praticidade e velocidade. Faremos mais testes comparativos entre plataformas e apps, e voltaremos com mais novidades. Enquanto isso, se você não baixou, pare de vacilar. [The Verge, TechCrunch, The New York Times]