O ano de 2011 desencadeou uma mania por tablets no Brasil: depois do sucesso do iPad 1 e lançamento do iPad 2, o governo quer popularizar os tablets e o Brasil está incentivando a produção nacional deles. Uma das investidas brasileiras no mercado é o tablet Braox, da catarinense Aiox do Brasil. Ele tem tela multitoque de 10 polegadas, 3G e Wi-Fi, entrada para cartão SD e USB, além de câmera frontal – tudo isto pesando e custando menos que o iPad. Será possível?

Essas são as especificações que Jovelci D. Gomes, presidente da Aiox, informa ao Diário Catarinense. Além disso, o tablet Braox teria 2 GB de RAM, 64 GB de armazenamento e rodaria Android, Windows e Linux, com bateria que dura nove horas. Ele também teria 10 mm de espessura, com 400g de peso – o Samsung Galaxy Tab 10.1, mais fino e mais leve que o iPad 2, tem 8,6mm de espessura e 565g.



O tablet Braox custaria R$1.250, contra os R$1.649 do modelo mais simples do iPad 2 no Brasil. Segundo Gomes, a empresa já tem isenção de impostos para fabricar um tablet nacional.

Mas como a Aiox conseguiu esta proeza de um tablet muito mais leve e mais barato que a concorrência? Não sabemos, mas o Diário Catarinense informa que o tablet Braox, por enquanto, é apenas um protótipo, e não cita data de lançamento.

No site da Aiox, há disponível por enquanto apenas um tablet (imagem acima), com touchscreen de 10,2″, processador Intel Atom N450 de 1,66 GHz, 2GB de RAM e 320GB de disco rígido – ou seja, basicamente um netbook sem teclado. Ele pesa 1.200g, e o preço está disponível apenas “sob consulta”. [Diário CatarinenseBraox; valeu, macjr!]